Tenistas não vacinados vão precisar de quarentena para jogar Aberto da Austrália

A diretriz contradiz o ministro de Imigração do país, que disse que os atletas precisariam estar totalmente imunizados para o Grand Slam

Sem flexibilização sobre vacina contra Covid-19, Novak Djokovic pode ficar fora do Aberto da Austrália de tênis
Sem flexibilização sobre vacina contra Covid-19, Novak Djokovic pode ficar fora do Aberto da Austrália de tênis Paul Childs - 16.nov.2020/Reuters

Da Reuters

Ouvir notícia

Atletas não vacinados poderão participar do Aberto da Austrália do próximo ano após passarem por 14 dias de quarentena, disse a WTA Tour (Associação de Tênis Feminino) aos jogadores, segundo um e-mail obtido pela imprensa.

A mensagem, obtido pelo jornalista Ben Rothenberg, contradiz uma declaração feita na semana passada pelo ministro de Imigração da Austrália de que os jogadores precisariam estar imunizados para obter um visto para competir no Grand Slam.

Uma proporção significativa de jogadores do torneio WTA feminino e ATP masculino permanece não vacinada, e o número um do mundo masculino Novak Djokovic se recusou a revelar seu status de vacinação.

No e-mail, a WTA disse que queria “esclarecer informações falsas e enganosas” sobre as condições que os jogadores enfrentariam no Aberto da Austrália.

A WTA disse que a informação veio dos organizadores Tennis Australia, que pediu aos jogadores que mantivessem a confidencialidade por “alguns dias”, pois ainda discutiam os detalhes com o governo.

A Tennis Australia se recusou a comentar sobre os arranjos para jogadores não vacinados, incluindo quarentena. “Estamos otimistas de que podemos realizar o Aberto da Austrália o mais próximo possível das condições pré-pandêmicas”, disse o órgão dirigente em um comunicado.

Todos os jogadores que chegaram do exterior para a edição de 2021 do Aberto da Austrália tiveram que passar por duas semanas de quarentena, embora a maioria tenha tido permissão para deixar seus hotéis para treinar.

O ministro dos esportes do estado de Victoria, Martin Pakula, disse que as autoridades ainda estão decidindo se jogadores estrangeiros não vacinados serão permitidos no país.

“Ainda estamos resolvendo com a Tennis Australia e a Commonwealth se estrangeiros não vacinados terão permissão para entrar na Austrália e, em caso afirmativo, em que circunstâncias eles serão permitidos”, declarou.

O premier da região, Daniel Andrews, disse na semana passada que não haveria acordos especiais para jogadores não vacinados competirem no estado, onde a vacinação é obrigatória para atletas, treinadores e oficiais do esporte profissional.

Pakula informou que, segundo o chefe do Tennis Australia, Craig Tiley, a taxa de vacinação entre os jogadores de tênis é de quase 80%. Ele confirmou que jogadores totalmente vacinados não teriam que ficar em quarentena na chegada à Austrália.

“A única coisa que garantimos a todos é que os jogadores vacinados serão tratados da mesma forma que qualquer outro vacinado ao país”, disse ele.

A partir de 1º de novembro, os cidadãos e residentes permanentes totalmente vacinados e seus familiares residentes no exterior que chegarem a Sydney e Melbourne não precisarão mais ficar em quarentena.

O e-mail da WTA dizia que a qualificação para o Aberto da Austrália, que foi transferido para os Emirados Árabes Unidos para o torneio de 2021, aconteceria em Melbourne Park normalmente.

O WTA não quis comentar a reportagem. O Aberto da Austrália está programado para começar em 17 de janeiro.

Mais Recentes da CNN