Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Bolsonaro recebeu Do Val sabendo que falariam sobre Moraes

    Ex-presidente prestou depoimento à PF nesta quarta-feira sobre reunião na qual teria, supostamente, armado um plano golpista

    Pedro Jordãoda CNN

    São Paulo

    O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que se encontrou com o senador Marcos Do Val (Pode-ES) sabendo que conversariam sobre o ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Bolsonaro prestou depoimento nesta quarta-feira (12) à Polícia Federal.

    “Indagado se Daniel Silveira adiantou que seria tratado algo sobre ministro Alexandre de Moraes, o declarante [Bolsonaro] respondeu que, segundo Daniel Silveira, o senador Marcos do Val também gostaria de tratar sobre algum assunto referente ao ministro, sem nenhum outro detalhe ou conotação pessoal”, diz o documento que registra o depoimento do ex-presidente.

    No momento da declaração, os advogados de Bolsonaro enfatizaram que, até então, ele nunca havia se reunido pessoalmente com Do Val.

    Junto com o ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), Bolsonaro se encontrou com Do Val em 8 de dezembro do ano passado. Na reunião, eles teriam supostamente armado um plano golpista que envolvia o ministro Alexandre de Moraes, para retirá-lo do comando do TSE e anular o resultado das eleições presidenciais de 2022, segundo o senador. O ex-presidente nega seu envolvimento e diz que Do Val deve responder por seus próprios atos e falas.

    O caso veio à tona em fevereiro desde ano, quando Do Val disse ter sido coagido por Bolsonaro e por Silveira “a participar de um golpe”.

    Logo após a declaração de Do Val, Moraes determinou abertura de inquérito. O senador mudou a versão da história nos dias seguintes e tentou minimizar o suposto envolvimento de Bolsonaro no episódio, alegando, inclusive, que se enganou ao dizer que havia sido coagido.

    No mês passado, por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão em três endereços de Do Val. Documentos, pen drives e equipamentos eletrônicos foram apreendidos para perícia.

    Titular na CPMI do 8 de janeiro, Do Val pediu licença de sua vaga. Segundo o advogado dele informou à CNN, o parlamentar continua afastado “se cuidando”.

    *Com informações de Tiago Tortella e Elijonas Maia, da CNN