Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    António Oliveira balança no Corinthians após mais uma derrota

    Começo ruim no Campeonato Brasileiro pode atrapalhar continuidade do treinador no clube alvinegro

    António Oliveira pode ser demitido do Corinthians
    António Oliveira pode ser demitido do Corinthians Rodrigo Coca/Agência Corinthians

    Raul Mourada CNN

    Com apenas uma vitória em dez jogos disputados no Campeonato Brasileiro, António Oliveira balança no cargo de treinador do Timão. Sem resultados positivos, a pressão para a saída do treinador português vem aumentando e o risco de mudança existe.

    Apesar de conseguir a classificação na Sul-Americana e também avançar na Copa do Brasil, os resultados ruins no Brasileirão e o desempenho ruim da equipe jogam contra o treinador. Um dos pontos positivos pela permanência de António Oliveira é a boa relação que tem com o elenco alvinegro e o bom clima no dia a dia do CT Joaquim Grava.

    Caso o Corinthians tome a decisão de demitir o treinador, o clube terá que arcar com a multa rescisória de R$ 1 milhão. A tendência inicial, porém, ainda é de permanência do treinador, que tem a partida contra o Athletico-PR, na Ligga Arena, no próximo domingo para tentar retomar o caminho das vitórias.

    Em 27 jogos disputados até aqui, António Oliveira tem 13 vitórias, sete empates e outras sete derrotas. A situação muda, porém, quando o recorte é válido para apenas clubes que disputam a primeira divisão do Brasileirão. Contra times da elite, o português só venceu o Fluminense, atual lanterna da competição, além de cinco empates e outras cinco derrotas.

    António pede reforços e paz

    Em suas últimas coletivas de imprensa no Timão, António Oliveira cobrou reforços para a próxima janela e também fez questão de frisar que precisa de paz para poder desempenhar o melhor trabaho na equipe.

    “Há uma necessidade clara que a equipe tem. Quero ter 20 jogadores com capacidade de competir, dois por posição, até dentro das competições. Essa é a realidade. Independente de percebermos a semana conturbada, dentro do grupo, ninguém toca e ninguém mexe. Não nos passam nada. Queremos um clube são, estável e com paz para dar segurança a desempenhar nossas funções”, disse o treinador.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas