Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Cássio fala da reserva no Corinthians: “Não estou saindo por ter ido ao banco”

    Goleiro, que deve seguir para o Cruzeiro, fala em dever cumprido no Corinthians

    Cássio em coletiva de despedida do Corinthians
    Cássio em coletiva de despedida do Corinthians Reprodução/Corinthians TV

    Luis FabianiPedro Leiteda Itatiaia

    Depois de 12 anos e cinco meses, Cássio se despediu do Corinthians neste sábado (18), em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava. O goleiro aproveitou para esclarecer que não deixa o Corinthians por ter ido para o banco de reservas e falou em fim de ciclo.

    “Não estou saindo porque estou indo para o banco. Estou saindo porque o ciclo acaba. Tem que ter sabedoria, paciência. Não estou saindo por atrito com ninguém, não tive problema com nenhum treinador, jogador. Fiz de tudo para ajudar o Corinthians. Muitas pessoas não sabem do que fiz, do meu empenho. Saio com dever cumprido”, disse o goleiro, que aproveitou para elogiar a safra de jogadores que o Timão possui para a posição.

    “Acho que o Corinthians está muito bem servido de goleiro. Tem muitos jogadores promissores no gol. Saio muito feliz. Quando olho para trás, vi que fiz de tudo, o possível e o impossível. Saio em paz. Chegou meu tempo e era hora de acontecer. Saio tranquilo e feliz”.

    Cássio aproveitou para avisar que sua história de títulos não acaba neste momento e projetou sua nova etapa longe do Corinthians. “Vou ser muito vitorioso onde eu for”.

    Veja outras declarações de Cássio em coletiva

    Motivos da saída

    “(O que me motivou) foi uma série de situações. Você entende que seu ciclo acabou, estou tranquilo em relação a isso. Você vê tudo que passou, tudo que conquistou. No começo do ano eu tive possibilidade de sair e entendi que não era momento de sair. A gente não decide nada sozinho, e achei que nesse momento era o momento de ter um novo desafio na carreira e sair bem, sabe?”

    Novo desafio

    “Nesse momento conversei com presidente, com Fabinho. Acho que é legal valorizar a condução, não teve briga, atritos, e sim conversa. São 12 anos e cinco meses, nesse momento preciso de um novo desafio. Para mim é coisa nova e confesso que sempre vivo ano a ano. Estava adaptado aqui, mas é legal sair bem de um clube, com respeito, com carinho, e achei que esse era o momento. Chegamos a um acordo para terminar o ciclo nesse momento.”

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original