Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Máfia das Apostas: STJD suspende oito jogadores por 30 dias; veja lista

    Pelo menos por esse período, atletas não poderão ser relacionados para os compromissos de suas equipes

    Igor Cariús no jogo contra o Palmeiras, pelo qual ele é investigado
    Igor Cariús no jogo contra o Palmeiras, pelo qual ele é investigado AssCom Dourado

    da Itatiaia

    O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) suspendeu, nesta terça-feira (16), oito jogadores investigados por esquema de apostas (veja lista abaixo). A decisão foi divulgada inicialmente pelo comentarista Roger Flores, do SporTV, e confirmada pela Itatiaia.

    • Eduardo Bauermann, do Santos
    • Onitlasi Junior Moraes Rodrigues, o Moraes, da Aparecidense/GO
    • Gabriel Ferreira Neris, o Gabriel Tota, do Ypiranga-RS
    • Jonathan Doin, o Paulo Miranda, do Náutico
    • Igor Aquino da Silva, o Igor Cariús, do Sport
    • Matheus Phillipe Coutinho Gomes, ex-Sergipe
    • Fernando Neto, do São Bernardo-SP
    • Kevin Lomónaco, do Bragantino

    Dos oito jogadores suspensos pelo STJD, apenas dois não foram denunciados pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), responsável pela investigação. Moraes e Kevin Lomonaco fecharam um acordo com o MP e se transformaram em testemunhas do caso.

    O STJD denunciou os jogadores pelos artigos 243 e 243 A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Eles tratam sobre ‘atuar, deliberadamente, de modo prejudicial à equipe’ e ‘atuar, de forma contrária à ética desportiva, com o fim de influenciar o resultado de partida, prova ou equivalente’.

    Em caso de condenação, as penas são multa de até R$ 100 mil e suspensão por até 720 dias. Em caso de reincidência, os denunciados poderão sofrer até exclusão definitiva do futebol.

    Operação Penalidade Máxima

    De acordo com o MPGO, os apostadores aliciavam atletas para que eles fossem punidos com cartões amarelos ou vermelhos ao longo de jogos pelas Séries A e B do Campeonato Brasileiro de 2022 e alguns Estaduais de 2023.

    O apostador Bruno Lopez de Moura é apontado como chefe da quadrilha. Ele está preso. Até aqui, o MP ofereceu denúncia contra diversos jogadores no âmbito da Operação Penalidade Máxima, que já teve duas fases. São eles:

    Ygor Catatau, Allan Godói, André Queixo, Mateusinho, Paulo Sergio (Sampaio Corrêa), Gabriel Domingos (Vila Nova), Joseph (Tombense), Romário (Vila Nova), Eduardo Bauermann (Santos), Gabriel Tota, Paulo Miranda (Juventude), Victor Ramos (Chapecoense), Igor Cariús (Sport) e Fernando Neto (São Bernardo).

    Outros atletas fizeram um acordo com o MP e se transformaram em testemunhas do caso. Além disso, outros cinco jogadores já foram afastados preventivamente de seus clubes por terem nomes citados em conversas. São eles:

    Pedrinho e Bryan Garcia (Athletico, dispensados), Richard (Cruzeiro), Vitor Mendes (Fluminense) e Nino Paraíba (América, dispensado).

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original