Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Romário relembra relação de admiração com Baggio: “Ele é um fenômeno”

    Astro do futebol italiano participou da série "Romário, O Cara", que já está disponível no streaming

    Romário foi "o cara" da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1994
    Romário foi "o cara" da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1994 Tony Marshall/EMPICS via Getty Images

    Da CNN

    O Tetra conquistado pelo Brasil em 1994 se deve muito aos gols e genialidade de Romário. Além do caneco pela Seleção, o Baixinho foi eleito o melhor da Copa pela Fifa. Trinta anos depois, uma imagem e um personagem ficaram eternizados na memória do camisa 11.

    Romário e Roberto Baggio eram as esperanças de Brasil e Itália na decisão do Mundial dos EUA, no estádio Rose Bowl. O Baixinho relembra com carinho a admiração pelo adversário daquele jogo inesquecível.

    “Uma imagem que me impressionou, que eu já tinha visto há muito tempo, foi fora de campo, aquela final do Baggio, que ele fica o tempo assim, alguns minutos me olhando, né? Eu já tinha visto aquilo bem logo depois da Copa, mas sempre quando eu vejo, aquilo ali foi uma imagem bem do c…”, declarou.

    No duelo dos astros, o Baixinho levou a melhor e pôde celebrar um título que não era conquistado há 24 anos, após o italiano isolar seu pênalti. Mesmo com a decepção pelo vice, a atitude de Baggio ganhou elogios do hoje senador.

    “Muita gente fala ‘pô, o cara estava peidando para você, estava com medo’. Não. Aquilo ali é uma demonstração única e pura de respeito máximo. Talvez se eu estivesse na posição dele, da minha parte também aconteceria com aquele cara. Aquele cara ali é fenômeno”, completou.

    Ao lado de Bebeto, Romário brilhou com a Amarelinha na Copa de 94 Foto: David Cannon/Allsport / David Cannon/Allsport

    Participação de Baggio

    Diretor e produtor da série “Romário, O Cara”, Bruno Maia detalhou como chegou até o ex-jogador italiano para poder participar da obra. Segundo Bruno, a atitude de Romário foi fundamental para sublinhar o carinho de ambos.

    “Quando a gente foi falar com o Baggio, a gente teve uma dificuldade de chegar. O nosso tempo já era curto e queria muito que ele tivesse (na série). E aí eu falei ‘Pô, Romário, vamos mandar um vídeo para ele, topa?’. Perguntei para o Romário sobre a admiração dele para não forçar a barra, declarar nada que não fosse verdade. E ele colocou essa admiração pelo Baggio com uma humildade grande que a gente costuma ver tanto do Romário, mas que é a prova da admiração dele, do respeito por esse cara”.

    Mesmo sem o título mundial, Baggio saiu da decisão em 94 com um “troféu” dado por Romário. É a prova de amor entre os dois, como destaca o diretor da série.

    “A gente enviou para o Baggio (o vídeo), obviamente acho que ele viria sem esse vídeo também. Mas foi muito legal presenciar de pertinho a intimidade, admiração mútua desses caras. Tanto que quando eu falei com o Romário, quando a gente esteve lá com Baggio, a admiração dele era óbvia. Ele até hoje tem a camisa da final da Copa usada por Romário. Pude ver a camisa, pegar na mão, e ele guarda com maior carinho. Isso é bem bacana de ver desses dois gigantes”, declarou.

    Onde assistir

    “Romário, O Cara” é uma série documental dividida em seis episódios sobre a história de um dos maiores jogadores da história do futebol mundial. A primeira temporada tem como foco o período do início dos anos 90, quando o atacante teve uma relação conflituosa com a comissão técnica da Seleção Brasileira antes de ser campeão da Copa do Mundo de 1994. A série está disponível no serviço de streaming Max no Brasil e em toda a América Latina.

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas