Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Presidente de clube da Turquia renuncia após socar árbitro

    Faruk Koca anunciou a saída do cargo um dia após dar um soco em um árbitro Fifa

    Árbitro foi agredido na Turquia.
    Árbitro foi agredido na Turquia. Emin Sansar/Anadolu via Getty Images

    By Hande Atay Alam, Homero De la Fuente and Thomas Schlachter, CNN

    O presidente do Ankaragücü, clube de futebol da Turquia, anunciou sua renúncia um dia depois de dar um soco no rosto de um árbitro da Fifa.

    “Para evitar mais danos ao clube Ankaragücü, aos torcedores do Ankaragücü, à comunidade em que pertenço e à minha família, gostaria de anunciar que renunciei à presidência”, disse Faruk Koca em comunicado do clube publicado no X, anteriormente conhecido como Twitter.

    O árbitro Halil Umut Meler afirmou que Koca também ameaçou matá-lo após a partida do Ankaragücü contra o Rizespor, na noite desta segunda-feira (11).

    Meler diz que Koca deu um soco no rosto dele, abaixo do olho esquerdo, e que caiu no chão e foi chutado por outras duas pessoas, de acordo com um comunicado publicado pela agência de notícias estatal turca Anadolu.

    “Faruk Koca disse para mim [e para os outros funcionários]: ‘Vou acabar com vocês.’ Dirigindo-se a mim, ele disse: ‘Eu vou matar você’”, disse Meler à Anadolu.

    Várias fotos e vídeos mostram Meler com o olho esquerdo inchado e um saco de gelo enquanto saía do campo, cercado por seguranças com escudos. Segundo a emissora pública TRT, ele foi transportado de ambulância ao hospital.

    Yılmaz Tunç, o Ministro da Justiça turco, disse no X que os três indivíduos que atacaram o árbitro foram “presos pelo crime de ‘ferir’ num campo desportivo, de uma forma que resultou numa fratura, um funcionário público que cumpria seu dever público.’”

    Koca está entre as três pessoas presas, segundo Tunç. O presidente do Ankaragücü, no entanto, negou as acusações, dizendo que “deu um tapa” na cara de Meler.

    “Este incidente se desenvolveu devido a decisões erradas e comportamento provocativo do árbitro. Meu objetivo era reagir verbalmente e cuspir na cara dele. Enquanto isso, dei um tapa na cara do árbitro. A porrada que dei não causa fratura”, disse Koca, segundo Anadolu.

    “Depois do tapa, o árbitro ficou parado cerca de cinco a 10 minutos… Aí [Meler] se jogou no chão. Eles imediatamente me retiraram do local porque eu tinha um problema cardíaco. Não tenho conhecimento de nenhum outro incidente ocorrido.”

    Mehmet Yörübulut, médico-chefe do hospital Acibadem, disse em um vídeo postado no X que Meler teve uma pequena ferida após o soco, mas não houve danos cerebrais. Yörübulut afirmou também que espera que Meler receba alta na noite desta terça (12) ou na quarta-feira 913).

    A Federação Turca de Futebol adiou indefinidamente os jogos de todas as ligas do país após o ataque. Durante o empate por 1 a 1 no Estádio Eryaman, em Ancara, o Ankaragücü sofreu o gol do empate aos 97 minutos, após o qual Koca correu para o campo e deu um soco no rosto de Meler.

    O árbitro da Fifa acabou sendo colocado de pé com a ajuda de vários jogadores e seguranças antes de ser retirado do campo.

    “Condenamos veementemente o ataque desumano e desprezível a Halil Umut Meler, o árbitro da partida, por criminosos após o jogo da Trendyol Süper Lig”, afirmou a Federação Turca de Futebol (TFF) em comunicado.

    “Estamos acompanhando de perto o estado de saúde de Halil Umut Meler e desejamos uma rápida recuperação ao nosso valioso árbitro.”

    A federação anunciou então que o conselho de administração concordou em adiar indefinidamente os jogos em todas as ligas, acrescentando também que foram iniciados processos criminais contra os responsáveis pelo “ataque desumano”.

    “O clube responsável, o presidente do clube, os seus dirigentes e todos os criminosos que atacaram Halil Umut Meler serão punidos da forma mais severa”, afirmou a federação.

    Quando contatada pela CNN para comentar, a Fifa indicou a declaração condenando o ataque que seu presidente, Gianni Infantino, postou no Instagram.

    “Não há absolutamente nenhum lugar para a violência no futebol, dentro ou fora do campo”, escreveu Infantino na rede social, acrescentando que os acontecimentos de segunda-feira foram “totalmente inaceitáveis e não têm lugar no nosso esporte ou sociedade”.

    “Sem árbitros não há futebol. Árbitros, jogadores, adeptos e funcionários têm de estar seguros e protegidos para desfrutar do jogo, e apelo às autoridades competentes para garantirem que isto seja rigorosamente implementado e respeitado a todos os níveis.”

    Entretanto, o ministro do Interior turco, Ali Yerlikaya, confirmou numa publicação no X que Koca havia sido encaminhado a um hospital sob a supervisão das forças de segurança. Yerlikaya disse também que seriam realizados procedimentos de detenção para Koca após o seu tratamento, acrescentando que outros dois indivíduos já haviam sido presos.

    De acordo com a CNN Türk, Koca disse à Beyaz TV que “desmaiou” e não se lembra de suas ações.

    “Meu cérebro enlouqueceu, minha visão escureceu! Não me lembro do que fiz!”, disse Koca.

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, condenou o ataque em um comunicado publicado na X segunda-feira.

    “Condeno o ataque ao árbitro Halil Umut Meler após o jogo MKE Ankaragücü x Çaykur Rizespor disputado esta noite e desejo-lhe uma recuperação rápida”, disse Erdogan.

    “Esporte significa paz e fraternidade. O esporte é incompatível com a violência. Nunca permitiremos que a violência ocorra no esporte turco.”

    Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas

    Este conteúdo foi criado originalmente em Internacional.

    versão original