Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Presidente do Atlético-MG sobre opositores à SAF: “Que tragam proposta melhor”

    Galo iniciou na manhã desta quinta (20) a votação que pode aprovar a criação da Sociedade Anônima do Futebo

    Sérgio Coelho, presidente do Atlético-MG
    Sérgio Coelho, presidente do Atlético-MG Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Redação Itatiaia

    O Conselho Deliberativo do Atlético-MG iniciou na manhã desta quinta-feira (20) a votação que pode aprovar a criação da Sociedade Anônima do Futebol. Ao chegar à sede, no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, o presidente do clube associativo, Sérgio Coelho, defendeu o novo modelo de gestão e também se dirigiu àqueles que questionam o projeto.

    Na última terça (18), o conselheiro benemérito Paulo Nehmy entrou com uma ação cautelar na Justiça para tentar adiar a votação do Conselho Deliberativo. O pedido foi indeferido. Já na noite desta quarta (19), alguns torcedores se manifestaram na porta da sede de Lourdes e pediram mais detalhes sobre a criação da SAF.

    No entendimento de Sérgio Coelho, diante da dívida de R$ 1,8 bilhão e dos juros altos com instituições bancárias, a SAF é o único caminho para viabilizar um Atlético-MG competitivo nos próximos anos. O modelo associativo já teria esgotado suas possibilidades de resolver o passivo, mesmo contando com empréstimos e avais dos quatro empresários que participam da gestão: Rubens Menin, Rafael Menin, Renato Salvador e Ricardo Guimarães (os 4 R’s).

    “Eles (opositores) são contrários, então que tragam uma proposta melhor. Eu falei em uma coletiva que é fácil, que é simples. Que eles venham com R$ 900 milhões para pagar os empréstimos e avais dos 4 R’s. Eles vêm, fazem esse aporte e assumem o Atlético-MG. Nós saímos na hora que eles chegarem. Sem problema. Vir para a porta da sede, fazer movimento, a gente respeita, porque é democrático. Mas a gente sabe que não é só a vontade de torcedores. Tem outras questões envolvidas nisso aí. Fala-se muito, critica-se muito, mas não traz solução”, disse.

    A diretoria do Atlético-MG divulgou um documento ao Conselho Deliberativo para esclarecimento do projeto. Nele, o clube explica por que os 4 R’s se tornarão os sócios majoritários da SAF por meio da Galo Holding.

    O texto informa que mais de 100 investidores foram ouvidos para que houvesse o possível aporte financeiro. O alto endividamento da associação e a falta de segurança jurídica teriam sido os principais obstáculos para a venda a um grupo sem ligação com a instituição.

    Sobre a operação financeira, o documento explica que o Atlético-MG foi avaliado em R$ 2,1 bilhões. Na proposta feita pela Galo Holding, a SAF assumiria a dívida do clube, avaliada em R$ 1,8 bilhão neste momento.

    O aporte total da operação seria de R$ 913 milhões, sendo que R$ 313 milhões seriam conversão de dívida com os 4R’s e R$ 600 milhões de injeção de dinheiro novo. Desses R$ 600 milhões, R$ 400 milhões seriam aportados pelos 4R’s. Ainda haveria dois fundos de investimentos, com R$ 100 milhões de cada.

    Sérgio Coelho alertou que as dívidas onerosas, com juros altos, precisam ser pagas o quanto antes para evitar o rápido crescimento do passivo. Só isso justificaria a criação da SAF.

    “Essa dívida não foi assumida pela minha gestão, pela nossa gestão. Isso é coisa de anos. No nossa gestão, as receitas geradas durante dois anos e meio, às quais aumentamos em 50% em relação ao ano que mais tinha faturado, que foi 2019. Nós aumentamos 50% da receita, pagamos todos os custos, e ainda tem um superávit. Mas o clube só aumenta a dívida. Juros de 15%, 18%, 20% ao ano, o clube não dá conta de arcar com esse custo. Isso sobre uma dívida que quando eu assumi era de R$ 1,3 bilhão. Tem solução? Tem. Traga a solução. Ao invés de criticar, tragam a solução. Vamos ser proativos”, acrescentou o presidente atleticano.

    “Respeito as críticas, respeito entrar na Justiça. Mas, ao invés de entrar na Justiça pedindo liminar, traga a solução pra nós. É um papel muito melhor, mais bonito, mais elegante. Vai dar resultado. Mas não venha trazer solução para os outros fazerem não. Traga soluções para que eles próprios façam”, concluiu Coelho.

    O Conselho Deliberativo do Galo terá até as 18h desta sexta-feira (21) para definir a venda de 75% da SAF para o grupo denominado Galo Holding.

    Para que a venda da SAF seja aprovada é necessário que 2/3 do Conselho Deliberativo sejam favoráveis à mudança. Atualmente, são 420 conselheiros. Desta forma, 280 membros precisam votar a favor.

    A votação será de forma presencial, na sede do clube, no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, e também online.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original