Festas virtuais se popularizam durante a quarentena


Ananda Vasconcelos, da CNN, em São Paulo
10 de junho de 2020 às 05:00

A pandemia de Covid-19 mudou os planos de muitas famílias que planejavam fazer festas em 2020. Mas, com a ajuda da tecnologia, as comemorações não precisaram ser canceladas. É o caso da analista de financeiro Juliane Vasconcelos, de 32 anos, que teve uma surpresa especial na reta final da gravidez.
 
A ideia de um chá de bebê virtual surgiu depois que Juliane contou aos primos que estava triste por não fazer a comemoração. Juliane está no nono mês de gestação do Nicolas, que deve nascer no final de junho. A família mobilizou gente da capital e do interior de São Paulo, do Paraná e dos Estados Unidos para preparar a surpresa. Duas semanas antes, foi criado um grupo no WhatsApp onde tudo foi planejado. As compras das fraldas e os presentes foram feitas pela internet e o chá de bebê foi organizado na casa da irmã de Juliane, que mora no mesmo condomínio.

O chá de bebê virtual da analista de financeiro Juliane Vasconcelos

O chá de bebê virtual da analista de financeiro Juliane Vasconcelos

Foto: Reprodução (9.jun.2020)

"Foi uma experiência maravilhosa, ver várias pessoas da minha família reunidas, pessoas de várias regiões do Brasil e do mundo, e eles todos ali, juntos, reunidos para esse momento especial na minha vida, não tem preço", contou a analista de financeiro.
 
O chá de bebê virtual do Nicolas durou 2 horas e teve até bolo e docinhos. Outra pessoa que se aventurou nas festas virtuais foi a atriz Teté Toledo, de 30 anos. Ela e o marido decidiram organizar a festa e convidar a família e os amigos. Tudo foi transmitido ao vivo no Instagram e rolaram até umas brincadeiras típicas de festas de gestantes.

Leia também:

Tecnologia ajuda a manter contato com avós durante quarentena

Com pandemia, demanda por videoconferências dispara

A festa virtual de Isabela, 3 anos, filha da enfermeira Fabiane Teixeira

A festa virtual de Isabela, 3 anos, filha da enfermeira Fabiane Teixeira

Foto: Reprodução (9.jun.2020)

Outra mamãe que aproveitou a tecnologia foi a enfermeira Fabiane Teixeira, de 35 anos. Ela já tinha programado a festa da filha Isabela, que fez três anos, antes de a doença chegar ao Brasil. Ela reforçou a importância da comemoração para a filha.
 
"Eu já tinha programado fazer a festa antes, então já tinha comprado todas as coisas. Não queria deixar passar em branco porque a Isabela criou expectativa sobre a festa. Ela ficou feliz, mesmo que virtual, por ter as pessoas cantando parabéns pra ela", destacou.
 
Uma dica para quem quer comemorar em casa é organizar um cantinho que seja iluminado, pra ser mais fácil das pessoas enxergarem pelo vídeo. Depois, é só abusar da criatividade para a decoração e comidas. As festas virtuais estão cada vez mais comuns na internet. Uma maneira de unir a família e os amigos para não deixar datas tão especiais passarem em branco.