Pesquisa identifica 5 tipos de donos de gatos; qual é você?


Skylar Mitchell da CNN
09 de setembro de 2020 às 13:05
Pessoa segurando um filhote de gato

Os gatos e seus donos podem ser muito próximos

Foto: Freepik

Se você tem um gato, pode cair em uma das cinco categorias que variam de “cuidador zeloso” a “guardião tolerante” em relação ao seu felino, de acordo com pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra.

A pesquisa se baseou na interação entre o comportamento natural dos animais e a reação humana a ele. Os gatos domésticos se enquadram em um espectro baseado em sua propensão a caçar e perambular ao redor de casa, e os níveis de supervisão de seus donos podem afetar a forma como os felinos interagem com o ambiente ao redor.

Enquanto alguns donos abraçam as tendências mais selvagens de seus gatos e lhes dão espaço e liberdade para passear do lado de fora sem preocupação, outros preferem criar gatos no ambiente doméstico, mantendo seus companheiros felinos dentro de casa e sob supervisão. Dependendo de onde você está neste espectro, você pode ser um “cuidador zeloso” ou um “defensor da liberdade”.

As categorias foram determinadas como parte da pesquisa “Cats, Cat Owners and Wildlife" (“Gatos, donos de gatos e vida selvagem”), que atualmente está sendo produzida pela equipe de cientistas de Exeter. O objetivo da iniciativa é identificar como os proprietários podem reduzir a caça de pequenos animais por parte de seus felinos. No Reino Unido, onde o estudo está sendo realizado, estima-se que existam mais de 10 milhões de gatos domésticos. Embora uma grande população de gatos não seja inerentemente negativa, esses animais de estimação muito independentes podem criar riscos para si próprios e para os animais menores que cruzam seus caminhos.

“A discussão geralmente é enquadrada como um debate entre proprietários ou defensores de gatos versus conservacionistas, especialmente conservacionistas de pássaros”, explicou Sarah Crowley, antrozoóloga do Centro Exeter de Geografia e Ciências Ambientais (CGES). Os antrozoólogos estudam as interações entre humanos e outros animais.

Gato em frente a cartelas

Pesquisadores da Universidade de Exeter entrevistaram mais de 50 donos de gatos para desenvolver as categorias de comportamento.

Foto: Cortesia de Sara Crowley/CNN

A pesquisadora Crowley e seus colegas da Universidade de Exeter buscaram um meio termo nesse conflito, considerando as perspectivas dos donos de gatos. O objetivo final do trabalho é identificar as melhores práticas para a gestão sustentável do comportamento felino, de uma forma que mantenha todas as partes satisfeitas.

Leia também:
Do vison ao seu gato: o que se sabe sobre a relação entre Covid-19 e animais
Cães são treinados para atuar como salva-vidas em praias da Itália
Adoção de cães e gatos cresce durante a quarentena

Os cinco tipos de proprietários

Os pesquisadores britânicos classificaram os donos (ou tutores) de gatos dentro das seguintes categorias:

Protetores preocupados: concentrados na segurança do gato.

Defensores da liberdade: que dão alta prioridade à independência dos gatos e se opõem às restrições de seu comportamento.

Guardiães tolerantes: que acham importante o acesso dos gatos ao mundo exterior, mas não gostam dos hábitos de caça dos felinos.

Cuidadores conscienciosos: que se sentem responsáveis por controlar os hábitos de caça de seus gatos.

Proprietários adeptos da liberdade total (os laissez-faire): que desconhecem em grande parte os problemas relacionados aos gatos que vagam pelas ruas para caçar.

Gatos que saem de casa não só colocam pássaros e roedores em perigo – sem supervisão humana, eles também podem estar em risco.

“Felinos que perambulam do lado de fora correm maior risco de atropelamento e de doenças”, explicou Crowley. 

Já em relação ao comportamento de caça, há sutilezas. “As pessoas não se preocupam tanto com ratos e camundongos, mas sim com pássaros. Em alguns países, há também preocupação com outros animais vulneráveis, como pequenos répteis”, detalhou a pesquisadora.

Gato em frente à janela

Gatos têm hábitos de caça que podem causar diferentes reações em seus donos

Foto: Pixabay

Crowley observou que nem todos os gatos caçam ou vagam da mesma forma, e as diferenças são ainda maiores entre um gato da cidade e um gato de sítio, por exemplo. A conversa com os donos de gatos foi fundamental para a equipe de pesquisa de Exeter, graças à variedade de tipos de comportamento desses felinos e dos ambientes onde os donos vivem. 

Ir até a fonte possibilitou pesquisar vários humanos que cuidam desses animais e prever o tipo de reação frente ao instinto felino. Um “defensor da liberdade” teria mais probabilidade de aceitar os instintos naturais de seu animal de estimação e os riscos de um gato solto em comparação com um “cuidador consciencioso”, que tem mais probabilidade de manter o gato em casa em pelo menos parte do tempo.

Independentemente da categoria que você ou o fã de gatos que você conhece se encaixem, os pesquisadores concordam que simplesmente ficar atento já é bastante útil.

Gato tomando banho de língua

Existem diversas formas de compreender os comportamentos dos felinos

Foto: Pixabay

“Esperamos que a pesquisa inspire as pessoas a pensar sobre o tipo de donos de gatos que são e a conversar com amigos e familiares sobre as responsabilidades dos tutores de felinos, tanto para seus pets quanto para outros animais selvagens”, aconselhou a pesquisadora. “Acreditamos que isso pode acontecer sem um conflito entre os amantes de gatos e os defensores de pássaros."

O estudo da Universidade de Exeter está em andamento e sua próxima versão será publicada ainda este ano. Você pode ler mais sobre a metodologia e os resultados na revista científica Frontiers in Ecology and the Environment.

Questionário:
Já sabe qual tipo de dono de gato você é? Faça este teste e descubra (o quiz está em inglês).

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em espanhol).