Após 120 anos, universidade britânica devolverá estátua de bronze à Nigéria

Peça faz parte da coleção de Bronze de Benim; chefe do museu de Aberdeen disse que obra foi "claramente saqueada"

Reuters
25 de março de 2021 às 11:29
Cabeça de um Oba (1955)
Cabeça de um Oba (1955)
Foto: Reprodução/Metropolitan Museum of Art

A Universidade de Aberdeen disse na quinta-feira (25) que devolverá uma estatueta do Bronze do Benim à Nigéria em algumas semanas.

A universidade é uma das primeiras instituições públicas a devolver um tesouro à África mais de um século depois de a Grã-Bretanha saquear esculturas e leiloar para colecionadores e museus ocidentais.

A universidade disse que a escultura de um Oba (governante) do Reino do Benim, deixou a Nigéria de forma "extremamente imoral" e o governo do país entrou em contato com autoridades do Reino Unido em 2019 para negociar seu retorno.

Isso aumentou a pressão para que os Bronzes do Benin (na verdade, esculturas em relevo de liga de cobre) retornassem aos seus locais de origem.

Neil Curtis, chefe de museus e coleções especiais de Aberdeen, disse que o Bronze comprado pela instituição em 1957 foi “claramente saqueado". "Ficou claro que tínhamos que fazer algo", disse.

O professor Abba Isa Tijani, diretor-geral da Comissão Nacional de Museus e Monumentos da Nigéria, disse que a importância de exibir o Bronze dentro da Nigéria pela primeira vez em mais de 120 anos era inexplicável.

"É parte da nossa identidade, parte da nossa herança que nos foi tirada por muitos anos", disse Tijani.

Os soldados britânicos apreenderam em 1897 milhares de peças de metal do Reino do Benim, que hoje faz parte do território da Nigéria, quando estava sob domínio britânico.

O Museu Britânico, que detém centenas de esculturas juntamente com vários outros museus, formou um Grupo de Diálogo para discutir a exibição e empréstimo das esculturas na Cidade do Benim, na Nigéria. As discussões ainda estão em andamento.

A Alemanha está negociando devolver 440 bronzes do Benim ainda este ano. A Jesus College, da Universidade de Cambridge, disse que finalizou as documentações e que em dezembro irá devolver outro bronze.

Tijani disse que os museus dos EUA também concordaram em devolver mais dois Bronzes.

O governador do estado de Edo, onde a Cidade de Benim é a capital, planeja construir um centro para armazenar e estudar os artefatos devolvidos até o final de 2021 e um museu permanente até 2025.

O artista e nativo do estado de Edo, Victor Ehikhamenor, disse esperar que a decisão leve outros a seguirem o exemplo. “Como algumas dessas obras estão faltando em nosso ambiente, as pessoas não conseguem contextualizar claramente de onde viemos”, disse Ehikhamenor.