Tornados no sul dos Estados Unidos causam destruição e mortes

Cerca de 860 mil norte-americanos amanheceram sem energia elétrica nos estados do Texas, Louisiana, Mississippi e Geórgia

Da CNN
12 de abril de 2020 às 21:39 | Atualizado 13 de abril de 2020 às 09:35
Estrutura próxima ao aeroporto de Monroe, na Louisiana (EUA), após tornado (12.abr.2020)
Foto: Prefeitura de Monroe/Divulgação

Tornados no sul dos Estados Unidos causaram danos "catastróficos" e ao menos 18 pessoas morreram até a manhã desta segunda-feira (13), de acordo com autoridades locais.

O Mississippi foi um dos mais atingidos pelas tempestades de domingo e registrou 11 vítimas, afirmou a porta-voz da Agência de Gerenciamento de Emergências do estado. Seis pessoas morreram na Geórgia e outra em Arkansas.

Cerca de 860 mil norte-americanos amanheceram sem energia elétrica nos estados do Texas, Louisiana, Mississippi e Geórgia.

Em 24 horas foram registrados 39 tornados e 29 chuvas de granizo. Os ventos seguem em direção à costa leste dos EUA. Mais de 39 milhões de pessoas em 11 estados estão sob ameaça de condições climáticas severas nesta segunda-feira.

Leia também: 

Por que eles se tornaram voluntários para testes da vacina contra o coronavírus?

EUA se tornam 1º país a registrar mais de 2 mil mortes por COVID-19 em 24 horas

Até o momento, a Defesa Civil informou que centenas de estruturas foram danificadas pelas tempestades. "Ao menos 200 ou 300 casas foram danificadas só aqui em Monroe", disse Jaime Mayo, prefeito da cidade, no estado da Louisiana.

Os ventos fortes e as chuvas intensas devem atingir a cidade de Nova York ainda nesta segunda-feira. O prefeito Bill de Blasio disse aos moradores que a melhor proteção contra as tempestades é manter o distanciamento social e permanecer em casa.

Torres de energia caídas após tornado na cidade de Monroe, na Louisiana (EUA) (12.abr.2020)
Foto: Prefeitura de Monroe/Divulgação

A ameaça das tempestades coincide com a pandemia do novo coronavírus. Oficiais da saúde e da Defesa Civil no Mississipi garantiram que haveria álcool em gel nos abrigos e pediram que as pessoas continuem usando máscaras.