Rússia diz que foi egoísta decisão de Trump por suspender financiamento à OMS


Da CNN, em São Paulo
15 de abril de 2020 às 08:01
Donald Trump, presidente dos EUA

“O que fazem com todo o dinheiro que mandamos?”, questionou Trump sobre a OMS

Foto: Leah Millis - 13.abr.2020/ Reuters

A Rússia criticou, nesta quarta-feira (15), a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de suspender o financiamento à Organização Mundial da Saúde (OMS). Para Moscou, o movimento é egoísta e prejudica um organismo no qual muitos países buscam liderança em meio à pandemia do novo coronavírus.

Trump, que enfrenta diversas críticas pela forma que responde ao surto da COVID-19, vem criticando a atuação da OMS, que ele acusa ter sido leniente com a China durante os estágios iniciais da pandemia, deixando de cumprir sua tarefa de informar ao mundo a real dimensão da crise.

Na terça-feira, o líder norte-americano anunciou a suspensão do financiamento para a agência. Recentemente, ele havia dito que cogitaria cortar um valor adicional que os norte-americanos repassam para projetos especiais da OMS. 

Assista e leia também:

Análise: crítica de Trump contra a OMS faz sentido, mas é cortina de fumaça

O Grande Debate: Trump acusa OMS para desviar foco da crise da COVID-19 nos EUA?

Agora, o congelamento atinge a anuidade que os EUA pagam, o que corresponde a cerca de 20% do orçamento da entidade. O país era o maior doador geral de fundos à organização.

O vice-ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, disse, nesta quarta, que o anúncio dos EUA é “muito alarmante”. “Esse é um exemplo de uma decisão muito egoísta das autoridades norte-americanas ao que está acontecendo no mundo com relação à pandemia”, afirmou ele, segundo a agência de notícias russa Tass.

“Um golpe como esse à organização em uma época em que os olhos da comunidade mundial estão, de muitas formas, precisamente, sobre ela é um passo digno de condenação e censura”, disse Ryabkov.

Acusações à OMS

Em entrevista coletiva na terça-feira, Trump disse os EUA revisarão o "papel da OMS em administrar gravemente mal e encobrir a disseminação do coronavírus". Ele chegou a citar uma crítica da OMS à decisão norte-americana de restringir viagens oriundas da China durante a primeira fase do surto da doença. 

"Outras nações e regiões que seguiram as diretrizes da OMS e mantiveram suas fronteiras abertas para a China aceleraram a pandemia em todo o mundo", disse Trump. "A decisão de outros países importantes de manter as viagens abertas foi uma das grandes tragédias e oportunidades perdidas desde os primeiros dias.”

O presidente afirmou que essa posição da entidade "causou muitas mortes". “O que fazem com todo o dinheiro que mandamos?”, questionou.

(Com Reuters)