Motorista que levava testes para a COVID-19 morre em ataque a carro da OMS

Pyae Sone Win Maung carregava material de testagem do novo coronavírus em Mianmar

Angela Dewan e Richard Roth, Da CNN
22 de abril de 2020 às 07:01 | Atualizado 22 de abril de 2020 às 07:07
Uma selfie de Pyae Sone Win Maung, 28, motorista da Organização Mundial da Saúde (OMS) cedida pela família de Pyae Sone Win Maung, em 21 de abril de 2020.
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Um veículo da Organização Mundial da Saúde (OMS) que carregava testes do novo coronavírus (COVID-19) foi atacado em Mianmar, deixando o motorista morto e um funcionário do governo gravemente ferido.
 
A OMS confirmou que Pyae Sone Win Maung morreu após o ataque de segunda-feira (20) no município de Minbya, no estado de Rakhine. O veículo foi alvo de tiros.

Mapa: Minbya é uma cidade no estado de Rakhine, na parte mais ocidental de Mianmar.
Foto: Reprodução/Google Maps

"A Organização Mundial da Saúde está profundamente triste com a morte de seu funcionário durante um incidente de segurança no distrito de Rakhine, em Mianmar", disse a OMS em comunicado nessa terça-feira (21).
 
Poonam Khetrapal Singh, diretor da OMS responsável pelo sudeste asiático, condenou "todos os tipos de violência física, verbal ou psicológica contra profissionais da saúde".
 
"Esse incidente mais uma vez destaca as dificuldades extremas enfrentadas por nossos guerreiros do coronavírus: nossos médicos, enfermeiros e outras equipes de saúde - especialmente aqueles que trabalham em áreas comprometidas pela segurança e de difícil acesso, pois continuam contribuindo para salvar vidas da melhor maneira possível ", disse porta-voz.

Leia também:

Brasil receberá milhões de testes contra coronavírus nesta semana, diz OMS

O secretário-geral da ONU, António Guterres "condena veementemente o ataque de 20 de abril", disse seu representante em comunicado.
 
"O secretário-geral expressa suas condolências à família do falecido e deseja uma rápida recuperação aos feridos. Ele pede uma investigação completa e transparente do incidente e que os autores sejam levados à justiça".