Wuhan volta a registrar caso de coronavírus após mais de um mês

Primeiro epicentro da doença não tinha registros de Covid-19 desde 3 abril. Em dados divulgados neste domingo, China confirmou 14 novos casos e nenhuma morte

Da CNN*
10 de maio de 2020 às 03:16
Pessoas com máscaras de proteção caminham em rua de Wuhan, na China, primeiro epicentro da COVID-19
Foto: Aly Song - 03.abr.2020/ Reuters

A Comissão Nacional de Saúde da China registrou, neste domingo (10), 14 novos casos confirmados de coronavírus, o número mais alto no país para um dia desde 28 de abril. Entre as novas ocorrências, há um novo caso em Wuhan, cidade que não tinha novos casos de Covid-19 desde 3 de abril.

Wuhan foi o primeiro epicentro mundial da doença e permaneceu em lockdown por 76 dias até ser reaberta em 8 de abril.  

No dia anterior, a China, que já declarou todas as regiões deo país como de baixo risco, havia registrado apenas um caso da doença. O salto deste domingo se deve principalmente à cidade de Shulan, na província de Jilin, que contabilizou onze novos testes positivos. 

Com isso, as autoridades de Jilin elevaram o nível de risco da cidade. Os onze novos casos tornados públicos neste domingo tiveram contato com uma mulher que foi diganosticada com Covid-19 no último dia 7 - são membros de sua família ou pessoas que se relacionaram com ela e seus parentes.

O novo caso Wuhan, o primeiro relatado no epicentro do surto na China desde 3 de abril, é assintomático, segundo a comissão de saúde.

Além dos onze registros em Shulan e do caso Wuhan, os dois novos casos confirmados restantes foram infecções importadas. Segundo a autoridade médica chinesa, o número de casos assintomáticos recém-descobertos estão em 20, os mais altos desde 1º de maio e em comparação aos 15 do dia anterior.

Nenhuma nova morte foi relatada no país. 

O número total de casos confirmados de coronavírus na China continental atingiu 82.901 com os novos registros, enquanto o número total de mortes pelo vírus foi de 4.633, segundo a comissão.

* Com Reuters