Ex-policial envolvido na morte de George Floyd é libertado sob fiança

George Floyd foi asfixiado durante uma abordagem policial em Minneapolis, nos Estados Unidos, em 25 de maio

Dave Alsup, CNN
10 de junho de 2020 às 20:57
Derek Chauvin, J. Alexander Kueng, Thomas Lane e Tou Thao
Os quatro policiais envolvidos na abordagem a George Floyd; da esquerda para a direita, Derek Chauvin, J. Alexander Kueng, Thomas Lane e Tou Thao
Foto: Gabinete do Xerife do Condado de Hennepin/Reprodução (4.jun.2020)

Thomas Lane, um dos quatro ex-policiais envolvidos na morte de George Floyd, foi libertado da prisão de Hennepin, Minnesota (EUA), depois de ter pago fiança, segundo o site da prisão.

De acordo com seu advogado, Lane, de 37 anos, estava em serviço há quatro dias quando ajudou Derek Chauvin a conter George Floyd. Questionado sobre como seu cliente poderia aguardar e assistir por quase nove minutos, Earl Gray disse:

"Ele não ficou parado olhando. Ele estava segurando as pernas porque o cara estava resistindo no começo. Agora, quando ele está segurando as pernas, ele diz a Chauvin, bem, devemos virá-lo? Porque ele diz que não consegue respirar. Chauvin disse que não."

Leia mais:

George Floyd: em algumas cidades dos EUA, policiais se unem a manifestantes

Após cerimônia, corpo de George Floyd é enterrado ao lado da mãe nos EUA

Juíza define fiança de R$ 6 milhões para policial acusado de matar George Floyd

Os policiais Chauvin, Lane, J. Alexander Kueng e Tou Thao responderam à um chamado de denúncia sobre uma nota falsificada de US$ 20 no dia 25 de maio, quando detiveram Floyd, que morreu sob custódia.

Os quatro policiais foram demitidos e agora estão enfrentando acusações de homicídio.

Chauvin, 44 anos, foi alvo na última quarta-feira (3) de uma nova acusação de assassinato em segundo grau (homicídio doloso, mas não premeditado). 

Kueng, Thao e Lane foram acusados de ajudar e favorecer o assassinato.

(Texto traduzido, clique aqui e leia o original em inglês)