Entenda a origem de termos como fascismo, direita e esquerda

Fascismo vem da palavra latina fasces, que significa feixe ou ajuntamento de algo. Mas o que isso tem a ver com uma ideologia política?

Rodrigo Maia*, da CNN, em São Paulo
11 de junho de 2020 às 17:11 | Atualizado 11 de junho de 2020 às 21:53
Manifestante usando casaco com as palavras "Anti Racism Fascism Club" se posiciona em frente a policiais durante manifestação em Curitiba (7.jun.2020)
Foto: MATHEUS SILVA/AGIF /ESTADÃO CONTEÚDO


Vírus, manifestações, protestos, declarações, tragédias, crises: o ano de 2020 chegou para marcar a história da humanidade. Neste cenário, dúvidas aparecem. Uma das palavras mais pesquisadas no Brasil e no mundo, na última semana, foi fascismo.

No Brasil, na semana entre 24 e 30 de maio de 2020, a palavra fascismo tinha nota 7 (sete) numa escala de popularidade de 0 a 100, feita pela ferramenta de tendências do Google. Nos doze meses anteriores, a palavra oscilou entre 2 e 3 pontos.

Porém, de 31 de maio a 6 de junho, segundo a mesma ferramenta, a popularidade da palavra saltou para o nível máximo, ou seja, 100 pontos.

Leia também:

‘Podemos usar de violência’, dizem integrantes do Antifas à CNN

Em comunicado, grupo antifa explica entrevista à CNN

Mas qual a origem e o significado dessa palavra que parece estar muito presente na vida de todos? 

Do ponto de vista da origem, a relação é com a palavra latina fasces, que significa feixe ou ajuntamento de algo. E a primeira pergunta que surge é: mas o que isso tem a ver com uma ideologia política?

Na Primeira Guerra Mundial, a Itália sofreu uma derrota humilhante, na Batalha de Caporetto, em 1917. O país estava à beira de um colapso. O parlamento era visto como corrupto.

O chefe de estado italiano era o rei Vítor Emanuel III. A sociedade o enxergava como indeciso, tímido e sem envergadura para exercer uma liderança naquele contexto. Em 22 anos dele como monarca, mais de 20 primeiros-ministros passaram pelo cargo. O sentimento geral era de que um verdadeiro líder precisava reconstruir a Itália.

Em um domingo, 23 de março de 1919, homens furiosos com a situação se uniram na Piazza San Sepolcro. Depois de horas de conversa, assumiram o compromisso de “matar ou morrer” em defesa da Itália. Para isso, eles escolheram como emblema o fasces, um feixe de varas de bétula com um machado acoplado. A referência era, segundo o entendimento da época, o poder relacionado aos cônsules romanos.

O movimento que tinha como símbolo esse feixe de varas (fasces) começou com pouco mais de 40 homens e, dois anos depois, contava com mais de duas mil divisões territoriais. O líder máximo era Benito Mussolini e, por conta do símbolo “fasces”, o movimento recebeu o nome de fascista.

Como o regime de Mussolini era ideologicamente ultranacionalista e autocrático, caracterizado por um poder ditatorial e por repressão da oposição pela força, a palavra fascismo herdou o significado relacionado a alguém que quer ganhar pela força.

Direita e esquerda

Se a origem do fascismo está na Itália de Mussolini, qual a origem das palavras direita e de esquerda?

Do ponto de vista político, historiadores afirmam que, durante o período da Revolução Francesa, em 1789, na Assembleia Nacional Constituinte, extremistas jacobinos se sentaram à esquerda; enquanto os liberais girondinos foram para o outro lado, à direita.

A elite não quis se misturar com a burguesia. Do lado direito, ficaram os conservadores, tradicionais. Ao lado esquerdo, os favoráveis à luta pelos diretos dos trabalhadores e dos mais pobres.

Do ponto de vista linguístico, o termo esquerda vem do espanhol izquierda, originado em uma língua pré-românica que trazia a expressão ezker, do celta kerros. No uso popular, era uma ideia de mal agouro, um presságio de algo ruim. 

Até pouco tempo atrás, escrever com a mão esquerda, por exemplo, era algo errado, um sinal de insubordinação gravíssima e prova de dificuldade de aprendizagem. Era algo negativo. 

Na Idade Média, a Inquisição vai queimar os canhotos, pois praticavam bruxarias e eram os enviados do mal. Aliás, para não ficar com azar, em qualquer lugar, não entre com o pé esquerdo. Faça questão de entrar com o pé direito para tudo dar certo. Portanto, faz sentido pensarmos que a palavra esquerda tenha por origem algo negativo.

Por outro lado, a palavra direita vem do latim “directus” com o sentido de algo correto, justo e bom. Vale lembrar que as boas ovelhas, como diz o texto bíblico, devem sentar-se à direita de Deus Pai. Aquele que se forma numa profissão que preza pela justiça, por meio da lei, deve fazer o curso de direito.

O debate ganha espaço na tentativa de identificar se questões históricas e políticas sobre o fascismo ainda mantêm relação com a origem das palavras direita e esquerda.  A professora Madeleine Albright, ex-secretária de estados dos EUA, diz que a palavra FASCISMO está na moda e causando confusão. As ações de Mussolini na Itália estão registradas em milhares de livros de história. As ações de outros líderes mundiais, históricos e atuais, que se colocam à direita ou à esquerda, também. Munido dessas informações históricas e linguísticas, abre-se a reflexão sobre o uso adequado ou inadequado de algumas expressões.

*Rodrigo Maia é editor do Jornal da CNN e pós-doutor em Língua Portuguesa