Estátua de comerciante de escravos vai para museu com itens sobre racismo


Da Reuters, Guy Faulconbridge, da Reuters
11 de junho de 2020 às 08:30 | Atualizado 11 de junho de 2020 às 08:36
Estátua de Edward Colston cai na água após ser derrubada por manifestantes.

Estátuda Edward Colston derrubada em Bristol, no Reino Unido.

Foto: Keir Gravil via REUTERS

A estátua do um comerciante de escravos inglês do século 17, derrubada na última semana por manifestantes antirracismo, será retirada do porto, onde foi jogada, e exibida em um museu de Bristol nessa quarta-feira (10).

Em meio à onda de protestos pelo mundo contra o racismo e a violência policial, uma multidão acompanhou a derrubada da escultura que homenageava Edward Colston. As imagens viralizaram, desencadeando um debate sobre o passado imperial do Reino Unido.

Leia também:

Banksy propõe nova versão de estátua de comerciante de escravos derrubada

Morte de George Floyd reacende luta antirracista

'Os protestos são energia convertida em ação', diz sociólogo sobre os EUA

O prefeito de Bristol, Marvin Rees, disse que a estátua de Colston será recuperada e exibida ao lado de cartazes dos protestos recentes “Black Lives Matter”, para que a história de 300 anos de escravidão e a luta pela igualdade racial possam ser melhor compreendidas.