Após chegar ao Texas, Hanna é rebaixado de furacão para tempestade tropical

Fenômeno tocou o continente como furacão de categoria 1, mas perdeu força, segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC), dos EUA

Reuters
26 de julho de 2020 às 09:46 | Atualizado 26 de julho de 2020 às 10:49

Depois de atingir a costa sul do Texas na noite de sábado (25) com ventos e ondas fortes, o furacão Hanna foi rebaixado para tempestade tropical neste domingo (26), de acordo com informações do Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) dos Estados Unidos.

Hanna, primeira tempestade da temporada no Atlântico, tocou o território americano na ilha de Padre, no sábado, como um furacão de categoria 1 na escala Saffir-Simpson, que tem em cinco níveis, e mais tarde chegou à cidade de Kennedy no Texas.

De acordo com o último boletim do NHC, a tempestade tropical está se deslocando em direção a Monterrey, no México. Por volta das 9h (horário de Brasília), o fenômeno apresentava ventos de 95 km/h, afirmou o órgão.

O NHC prevê que Hanna perderá força durante seu deslocamento pelo interior do Texas e nordeste do México até a noite deste domingo. 

Assista e leia também:
Furacão Hanna chega ao Texas; tempestades ameaçam Havaí e Caribe
Ciclone, tufão, furacão, tempestade: a diferença entre esses fenômenos naturais

O centro cancelou um aviso para tempestade que havia sido emitido para a costa texana, mas alertou que o fenômeno poderia causar mais chuvas na área até segunda-feira (27), o que poderia causar inundações.

O NHC não se espera que a tempestade afete a produção de petróleo e gás. As empresas de energia não retiraram seus trabalhadores nem interromperam a produção de suas plataformas no Golfo do México.

A área do Texas atingida pelo Hanna é uma das mais afetadas no estado pela pandemia do novo coronavírus nas últimas semanas. Os casos ao longo da costa do estado subiram para dezenas de milhares e mais de 400 pessoas na cidade de Corpus Christi foram hospitalizadas com Covid-19 na sexta-feira (24), segundo dados da cidade.