Estados Unidos autorizam uso do plasma convalescente para tratamento da Covid-19

Agência FDA, a Anvisa norte-americana, concluiu que o produto pode ser eficaz no tratamento do novo coronavírus e que potenciais benefícios superam riscos

Jamie Gumbrecht, da CNN
23 de agosto de 2020 às 19:10 | Atualizado 24 de agosto de 2020 às 08:37

A FDA (Food and Drug Administration, órgão norte-americano equivalente à Anvisa) emitiu neste domingo (23) uma autorização para uso de emergência do plasma convalescente para o tratamento da Covid-19 em pacientes hospitalizados.

A agência disse que concluiu que o produto pode ser eficaz no tratamento da Covid-19 e que "os benefícios conhecidos e potenciais do produto superam os riscos conhecidos e potenciais do produto."

O plasma convalescente é criado a partir do sangue de pessoas que se recuperaram da Covid-19 e mostrou algum sucesso em dois outros coronavírus mortais: Mers e Sars. Também tem sido usado para tratar a gripe e o ebola.

Assista e leia também:
Plasma convalescente: como funciona a técnica no combate à Covid-19
Tratamento com plasma reduz mortalidade de pacientes graves da Covid-19

O processo, conhecido como terapia derivada de plasma ou “plasma convalescente”, consiste em avaliar o plasma de pessoas que se recuperaram da doença para detectar anticorpos contra o vírus
Foto: Shannon Stapleton - 11.mar.2020/ Reuters

No final de março, o FDA criou um caminho para os cientistas experimentarem plasma convalescente com pacientes e estudarem seu impacto.

Os médicos têm usado o tratamento desde então. Até agora, mais de 60 mil pessoas nos Estados Unidos foram tratadas com plasma convalescente.

(Texto traduzido. Clique aqui e leia o original em inglês)