Enchentes relâmpago matam 160 pessoas no Afeganistão; busca por corpos continua

Províncias no norte do país foram as mais afetadas pelo desastre; em Parwan, 15 pessoas ainda estão desaparecidas

Orooj Hakimi, da Reuters
29 de agosto de 2020 às 15:50
Afegão contempla a destruição de sua casa depois de enchente na cidade de Charikar, capital da província de Parwan
Foto: Mohammad Ismail/ Reuters

Equipes de resgate do Afeganistão continuaram as buscas por desaparecidos em meio à lama e os destroços neste sábado (29), após enchentes relâmpago que mataram ao menos 160 pessoas e destruíram casas por todo o país, disseram autoridades.

Treze províncias, principalmente no norte do país, foram afetadas pelas enchentes, de acordo com o Ministério de Gerenciamento de Desastres.

Em Parwan, ao norte da capital Cabul, 116 pessoas morreram, 120 ficaram feridas e 15 ainda estão desaparecidas, segundo autoridades locais e nacionais. "Equipes de salvamento ainda estão na área, buscando corpos desaparecidos" disse Wahida Shahkar, porta-voz do governador de Parwan.

As enchentes relâmpago atingiram Parwan na manhã da quarta-feira (26), devastando casas e prédios.

Leia mais:

Em meio a crise, Líbano impõe nova quarentena parcial para frear Covid-19

De 2 milhões a mil: peregrinação muçulmana a Meca sofre alterações por pandemia

O porta-voz da polícia local, Salim Noori, disse que os moradores das áreas mais afetadas eram principalmente agricultores e trabalhadores informais, que já estavam sofrendo financeiramente e que a polícia estava pedindo doações de sangue para os feridos.

O Ministério da Defesa disse que as forças de segurança afegãs estão ajudando na recuperação e distribuindo auxílio. As forças também enfrentam a crescente violência do grupo insurgente Taliban, à medida em que as negociações de paz em Doha estão atrasadas.