As vezes em que Trump disse não aceitar o resultado das eleições caso perca

Kevin Liptak da CNN
24 de setembro de 2020 às 17:22 | Atualizado 25 de setembro de 2020 às 08:13

Os oponentes de Donald Trump estão avisando, há algum tempo, que ele pode tentar se agarrar ao poder caso perca as eleições presidenciais em novembro de 2020.

Republicanos negam o cenário e dizem que há poucas evidências que apoiem essa alegação.

Entretanto, várias vezes Trump fez declarações deslegitimando as eleições.

O pronunciamento mais polêmico foi feito em uma coletiva de imprensa na noite de quarta-feira (23), quando Trump disse que “não garante uma transição de poder pacífica” caso seja derrotado, o que soa como uma ameaça a um dos pilares da democracia estadunidense.

Leia também:
Entenda por que Trump quer correr para indicar um novo juiz para a Suprema Corte
200 mil mortes: Covid-19 causou mais óbitos nos EUA que 5 guerras somadas
'Repugnante' e 'quase um crime', diz Biden sobre reação de Trump à pandemia

O comentário foi explosivo. Mas foi apenas o elo mais recente de uma corrente de declarações polêmicas nas quais o presidente americano difamou os processos eleitorais:

Trump não se compromete em facilitar uma transição de poder pacífica

Coletiva de imprensa, 23 de setembro: “Bom, vamos ver o que acontece. Vocês sabem disso. Eu estive reclamando fortemente sobre as cédulas. As cédulas são um desastre...Nós queremos -- nos livrar das cédulas e então teremos -- teremos uma pacífica -- na verdade, não haverá transferência; haverá uma continuação. As cédulas estão fora de controle, vocês sabem”, disse.

Trump diz que as eleições serão decididas na Suprema Corte

Salão Oval, 23 de setembro: “Vamos para o dia 20 de janeiro (dia da tomada de posse dos presidentes americanos). Mas eu penso que é melhor irmos antes das eleições porque eu penso que -- essa farsa que os democratas estão armando – é uma farsa – essa farsa será feita na frente da Suprema Corte dos Estados Unidos”, afirmou.

Trump diz que a única maneira que Biden pode vencer é através de eleições manipuladas

Comício, no dia 13 de setembro: “Os democratas estão tentando manipular as eleições, porque esta é a única forma que eles ganhariam”, ele declarou.

Comício, 20 de agosto: “Esta é apenas uma das formas nas quais eles estão tentando roubar as eleições, e todos sabem disso. Porque o único jeito de eles vencerem é através de uma eleição manipulada”.

Trump sugere sobre ficar no poder mesmo depois de dois mandatos

Comício, 17 de agosto: “Nós vamos ganhar por mais quatro anos. E depois disso, vamos ficar por outros quatro anos porque espionaram minha campanha. Devíamos ter uma compensação de quatro anos”, disse.

Comício, 13 de setembro: “Daqui a 52 dias vamos ganhar Nevada, e então vamos ganhar mais quatro anos na Casa Branca. Depois disso, vamos negociar, certo? Porque nós provavelmente – baseado na forma em que fomos tratados – nós provavelmente temos direito a mais quatro depois disso”, ele afirmou.

Trump não se compromete a aceitar o resultado das eleições

Entrevista para o programa “Fox News Sunday”, 19 de julho: “Não, eu tenho que ver. Veja bem -- eu tenho que ver. Não, eu não somente dizer ‘sim’. Eu vou dizer ‘não’. E eu não disse da última vez também”.

Trump especula sobre atrasar a eleição

Twitter, 30 de julho: “Com o voto universal por correspondência (diferente do voto à distância, que é bom, 2020 será o ano mais IMPRECISO & FRAUDULENTO das eleições na História. “Será uma vergonha enorme para os EUA. Atrasem as eleições até que as pessoas possam votar propriamente e seguramente?”

(Texto traduzido do inglês, clique aqui para ler o original)