Kim Jong-Un chora e pede desculpas ao povo da Coreia do Norte

Líder norte-coreano diz que falhou por não cumprir as promessas de progresso econômico

Reuters
13 de outubro de 2020 às 07:34 | Atualizado 13 de outubro de 2020 às 18:24

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, demonstrou raro momento de emoção ao dizer que falhou durante seu discurso que marcou o 75º aniversário da fundação do Partido dos Trabalhadores, que governa o país.

Vestido com terno cinza e gravata, Kim ficou com a voz sufocada e teve que tirar os óculos ao agradecer às tropas por seu sacrifício em resposta a desastres naturais e prevenção do surto de coronavírus, de acordo com o vídeo transmitido pela televisão estatal KRT, no último domingo (11).

Leia também:
Coreia do Norte exibe novo poderio militar durante desfile
'Temos uma amizade muito especial': cartas entre Trump e Kim são reveladas

"Nosso povo depositou confiança em mim, tão alta quanto o céu e tão profundo quanto o mar, mas não consegui sempre viver de acordo com isso de forma satisfatória", disse Kim, em um ponto parecendo sufocar. "Eu realmente sinto muito por isso."

No vídeo, norte-coreanos em uniformes militares e trajes tradicionais coreanos derramaram lágrimas enquanto ouviam o discurso de quase meia hora.

Kim não fez nenhuma menção direta aos Estados Unidos ou às negociações de desnuclearização agora paralisadas. Ele culpou sanções internacionais, tufões e o coronavírus por impedi-lo de cumprir as promessas de progresso econômico.

"Nosso povo sempre foi grato ao nosso partido, mas ninguém menos que eles próprios merecem uma reverência de gratidão", disse o norte-coreano.