Atentado suicida em centro educacional deixa ao menos 18 mortos em Cabul

Entre as vítimas estão jovens estudantes entre 15 e 26 anos, além de 57 de feridos

Gabriel Passeri*, da CNN, em São Paulo
24 de outubro de 2020 às 17:57

Um atentado suicida em um centro educacional de Cabul, capital do Afeganistão, matou pelo menos 18 pessoas neste sábado (24/10). Entre as vítimas estão jovens estudantes entre 15 e 26 anos, além de 57 de feridos.

Tariq Arian, porta-voz do Ministério do Interior, disse que seguranças do local identificaram um homem-bomba que detonou explosivos na rua em frente à unidade de ensino. O atentado, condenado pela OTAN e pelo governo local, ocorreu em uma região de Cabul que abriga muitos membros da comunidade xiita do Afeganistão, minoria religiosa no país.

O Talibã negou a responsabilidade pelo ataque, que ocorreu em um momento delicado, quando representantes do grupo se reuniram com o governo em busca de um acordo de paz. O Estado Islâmico, entretanto, assumiu a responsabilidade em um comunicado, sem fornecer evidências.

Leia também:
Confusão em fila para vistos mata pelo menos 15 afegãos
Enchentes relâmpago matam 160 pessoas no Afeganistão; busca por corpos continua

Em comunicado, o presidente afegão Ashraf Ghani ofereceu suas condolências às famílias afetadas peto ato terrorista e desejou uma rápida recuperação aos feridos.

Dr. Abdullah Abdullah, presidente do Conselho para Reconciliação Nacional, também lamentou o ocorrido. “Meus pensamentos e orações estão com as vítimas e suas famílias neste momento difícil. Visar pessoas inocentes e aterrorizar a população não é a solução para os problemas do país”.

“Quanto mais podemos suportar, como indivíduos e como sociedade?” questionou Shaharzad Akbar, presidente da Comissão Independente de Direitos Humanos do Afeganistão, classificando o atentado como um de crime de guerra.

*Sob supervisão de Evelyne Lorenzetti