População protesta na Filadélfia após morte de homem negro pela polícia

Comissária de polícia reconhece que vídeo do incidente "levanta muitos questionamentos"

Joe Sutton, Christine Sever e Eric Levenson, da CNN
27 de outubro de 2020 às 15:36 | Atualizado 27 de outubro de 2020 às 18:17

 


 

A polícia da Filadélfia, nos Estados Unidos, atirou e matou um homem negro que brandia uma faca na rua nesta segunda-feira (26), mergulhando a cidade em protestos que resultaram em 30 agentes feridos e na comissária de polícia reconhecendo rapidamente que o incidente "levanta muitos questionamentos". 

A ação, gravada por um vídeo de um celular, chama a atenção nacionalmente ao uso fatal de força policial após meses de manifestações sobre o tratamento da população negra pela polícia. O tiroteio e os protestos violentos também acentuam o foco sobre o estado pêndulo da Pensilvânia, uma semana antes da eleição presidencial. 

Leia também:

EUA têm novos protestos contra o racismo após negro ser baleado por policiais

EUA: Wisconsin tem protestos após caso de homem negro baleado por policial

O homem, morto na Filadélfia do Oeste, foi identificado como Walter Wallace, disse o prefeito Jim Kenney em nota. Kenney disse que o vídeo do incidente "apresenta questões difíceis que devem ser respondidas". 

A revolta causada pela ação gerou protestos e saques, levando à dúzias de prisões e policiais feridos, a maioria por objetos jogados. Um agente foi atropelado por uma caminhonete e levado ao hospital com uma perna quebrada e outros ferimentos, disse a polícia. 

Estabelecimentos foram saqueados e cinco viaturas e um carro de bombeiros foram vandalizados, continuou a corporação. Mais de 30 pessoas foram presas por atos variados e podem enfrentar acusações de tumulto, agressão contra policiais e saques, disseram. 

O gabinete da promotoria do distrito da Filadélfia está investigando o tiroteio em conjunto com a unidade policial local, disse a agência. As autoridades afirmaram que os agentes usavam câmeras corporais. As gravações foram revisadas pelo prefeito e comissária de polícia, mas não foram divulgadas ao público por serem parte de uma investigação em curso, disseram. 

A comissária de polícia da Filadélfia, Danielle Outlaw, reconheceu que o vídeo "levanta muitos questionamentos". Ela disse estar totalmente comprometida com uma investigação completa e diz que "sentiu a raiva da comunidade" ao visitar a cena após o tiroteio. 

Ambos os agentes envolvidos no caso foram retirados das ruas e estão fazendo trabalho de escritório, aguardando investigação, disse uma fonte.

O sindicato que representa os policiais defendeu que eles estavam "fazendo o trabalho deles" e pediu ao público por "paciência" enquanto os detetives investigam o que aconteceu. 

O que a polícia diz ter levado ao tiroteio

A polícia disse que o incidente começou com uma ligação sobre um homem com uma faca, reportou a afiliada da CNN, KYW. 

 "Os policiais que responderam o chamado testemunharam um homem naquele quarteirão. Imediatamente, perceberam que ele portava uma faca e estava a acenando, brandindo de forma errática", disse o sargento da polícia da Filadélfia, Eric Gripp, à KYW.

Um vídeo gravado por um celular de dentro de um veículo nas proximidades capturou os momentos finais do confrono. Wallace pode ser visto andando ao redor de carros estacionados, atravessando a rua de um lado para outro. 

Uma mulher, que um membro da família e uma fonte na polícia disseram ser a mãe de Wallace, parece estar tentnado intervir quando os dois policiais apontam as armas contra ele, mostra o vídeo. Quando Wallace se vira, os policiais podem ser vistos recuando conforme ele caminha na direão deles. 

Vários tiros são disparados pelos policiais, que o atingem. Gripp disse a KYW que um agente levou Wallace na viatura a um hospital próximo, onde o homem morreu. 

Uma testemunha, Maurice Holoway, disse á KYW que ele e outras pessoas na vizinhança haviam pedido a Wallace que soltasse a faca e que ele queria que uma ligação à polícia não resultasse na morte dele. 

"Atire na perna dele, ou não atire nele de modo algum", disse. 

JaHiem Simpson, que gravou o vídeo, disse à CNN que havia comoção e discussões antes que a polícia fosse chamada.

Quando a polícia chegou ao local, Simpson disse que uma pessoa, que depois ele ouviu que seria a mãe de Wallace, disse à polícia que o homem tinha transtornos mentais. 

Simpson disse que Wallace saiu da casa cerca de 15 segundos depois com uma faca. Todos ao seu redor, de acordo com Simpson, disseram-no para soltá-la. 

Assim que os agentes viram a faca. Simpson disse tê-los visto pegar as armas de fogo —não as armas de choque.

"Só o que estou pensando é, onde estão as armas de choque?", disse Simpson à CNN

Após o tiroteio, Simpson disse que as pessoas começaram a gritar com os policiais, e mais pessoas chegaram à cena. 

Simpson está incomodado com a polícia por nem ter tentado imobilizá-lo, mas principalmente por atirarem contra Wallace bem em frente da mãe dele, disse à CNN

"Como você se sentiria?", perguntou.

O tio de Wallace, Rodney Everett, de 63 anos, disse que seu sobrinho era uma "pessoa de bem".

"Estou desapontado que sua vida tenha terminado desta maneira. Não é certo. Não é certo de modo algum. Não acho que eles tenham feito justiça", disse. 

Everett disse que sua irmã, a mãe de Wallace, está "encolhida de dor". 

"Todos nós estamos. Mas isso aqui, eu sei que está a machucando. Eu estou desapontado. Isso tem de parar". 

30 policiais feridos, incluindo um atropelado por uma caminhonete

A polícia não divulgou nenhuma informação sobre o estado dos agentes.

O presidente de uma organização de policiais local, John McNesby, defendeu os policiais envolvidos. 

"Nossos policiais estão sendo vilipendidads por fazerem seus trabalhos e manterem a comunidade segura, após serem confrontados por um homem com uma faca. Nós apoiamos e defendemos esses agentes, que também estão traumatizados por estarem envolvidos em um tiroteio fatal", disse em nota. 

"Pedimos ao público por paciência enquanto os detetives trabalham para reunir todos os fatos deste trágico incidente na Filadélfia do Oeste. Nossos pensamentos e orações estão com esses policiais que tiveram de usar força letal para manterem a segurança deles mesmos e da comunidade". 

As autoridades da cidade prometeram manter contato com a família wallace conforme a investigação continua. 

"Eu continuarei a contatá-los para ouvir suas preocupações em primeira mão e a responder seus questionamentos até onde posso", disse o prefeito Kenney. "Eu espero uma resolução transparente e rápida pelo sr. Wallace, a família dele, os policiais e pela Filadélfia". 

"Todos os envolvidos serão impactados para sempre", disse Outlaw, a comissária de polícia. "Eu estarei supervisionando conforme a ivestigação tenta responder as muitas questões que existem. Eu também planejo me juntar ao prefeito em encontros com membros da comunidade e da família Wallace para ouvir suas preocuações assim que isso puder ser agendado". 

(Colaboraram Paul P. Murhy, Mirna Alsharif, Kristina Sgueglia, Mark Morales e Meridith Edwards, da CNN Internacional. Texto traduzido, leia o original em inglês)