Ninho de vespas assassinas encontrado nos EUA produziu quase 200 rainhas

Cientistas descobriram ninho de vespas gigantes asiáticas no estado de Washington, no norte do país

Allen Kim, da CNN
11 de novembro de 2020 às 21:22 | Atualizado 11 de novembro de 2020 às 21:22
Vespa gigante asiática, conhecida como vespa assassina, dentro de caixilho em ninho descoberto no estado de Washington
Foto: Reprodução/Facebook WSDA (29.out.2020)

Havia muito mais rainhas no primeiro ninho de vespas assassinas encontrado no Estados Unidos do que se pensava.

Cientistas estimam que quase 200 rainhas foram produzidas por aquele único ninho, um aumento significativo em relação às duas rainhas que haviam reportado inicialmente.

Entomologistas do departamento de Agricultura do estado de Washington (WSDA, na sigla em inglês) erradicaram e limparam o ninho encontrado dentro da cavidade de uma árvore perto da cidade de Blaine em 24 de outubro.

Leia também:

Com mais de 5 cm, vespas asiáticas 'assassinas' são vistas pela 1ª vez nos EUA

Após vespas ‘assassinas’, EUA agora se preocupa com mariposas ciganas

Os pesquisadores conseguiram aspirar 85 vespas do ninho, a maior parte delas, operárias, e só duas rainhas entre elas.

No entanto, após abrir a árvore em 29 de outubro, eles descobriram muito mais lá dentro. Cientistas contaram 76 rainhas —todas menos uma provavelmente são rainhas virgens novas — e os entomologistas acreditam que, baseado no tamanho, 108 caixilhos estourados com pupas provavelmente eram de rainhas também. Três rainhas também foram capturadas em um balde d'água próximo, disseram os pesquisadores.

Cada uma dessas rainhas poderia potencialmente iniciar um novo ninho se tivessem escapado, e ainda não está claro se outras rainhas conseguiram partir.

"Não há dúvida que se nós não interviéssemos e destruíssemos o ninho, esse número de 200 ninhos seria uma possibilidade", disse o entomologista Sven-Erik Spichiger durante uma pronunciamento em vídeo. "Parece que nós chegamos lá bem a tempo". 

Spichiger disse que os ninhos podem crescer o suficiente para abrigar quase 4.000 caixilhos, então o ninho encontrado em Washington era relativamente pequeno em comparação.

Lá dentro, havia aproximadamente 776 caixilhos,  seis favos —estruturas que abrigam as larvas enquanto elas se desenvolvem —seis ovos sem chocar, 190 larvas, 112 operárias, nove zangões, 108 caixilhos estourados com pupas e 76 rainhas. 

Funcionários do Programa de Pestes de Washington aspiraram diversas vespas de dentro da árvore
Foto: Karla Salp / Departamento de Agricultura do Estado de Washington

Os pesquisadores acreditam haver mais ninhos na região. O WDSA vai continuar a rastrear e montar armadilhas para vespas asiáticas gigantes por três anos, para garantir que a área esteja livre da espécie. 

O ninho de vespas gigantes asiáticas foi descoberto originalmente em 22 de outubro em uma cavidade numa árvore perto de Blaine. Usando um novo tipo de armadilha, os pesquisadores do WSDA marcaram várias vespas capturadas com rastreadores de ondas de rádio, que os levaram até o ninho. 

As vespas asiáticas gigantes normalmente montam seus ninhos no chão, mas, ocasionalmente, podem fazê-lo em árvores mortas.

Descobertas no estado de Washington em 2019, essas vespas são uma espécie invasora, não-nativa dos Estados Unidos. Elas são as maiores vespas do mundo, e se alimentam de abelhas melíficas e outros insetos. Um grupo pequeno desses insetos é capaz de matar uma colmeia inteira em poucas horas, disse o WSDA.

Abelhas não são a única razão dessas criaturas terem sido apelidadas de vespas assassinas. Picadas múltiplas das vespas gigantes asiáticas podem matar um ser humano, de acordo com especialistas da Universidade do Estado de Washington. 

(Texto traduzido, leia o original em inglês)