Furacão Iota chega à Nicarágua após devastar ilha colombiana

Furacão Iota destruiu 98% da infraestrutura da ilha colombiana de Providencia, segundo presidente Iván Duque. Tempestade depois chegou à Nicarágua

Da CNN, em São Paulo
17 de novembro de 2020 às 02:25 | Atualizado 17 de novembro de 2020 às 05:46
Imagem de satélite mostra formação do furacão Iota
Foto: CNN Weather (15.nov.2020)


O furacão Iota atingiu a Nicarágua na noite desta segunda-feira (16), após devastar as ilhas colombianas de San Andres e Providencia, em dia no qual variou entre categorias 4 e 5 na escala Saffir-Simpson - chegando a ventos máximos de 260 quilômetros por hora.

O presidente colombiano, Iván Duque, disse que 98% da infraestrutura da ilha colombiana de Providencia foi destruída e ao menos uma morte foi registrada.

Leia também:
Theta se forma no Atlântico e faz de 2020 o ano mais ativo de furacões

Ciclone, tufão, furacão, tempestade: a diferença entre esses fenômenos naturais

"É a primeira vez que um furacão de categoria 5 atinge nosso território desde o início dos registros", disse Duque durante uma coletiva de imprensa nacional na capital colombiana, Bogotá. "Estamos diante de um problema com características nunca antes vistas por nosso país."

As ilhas de San Andres e Providencia fazem parte da Colômbia, mas estão geograficamente mais próximas da América Central do que do restante do país.

Depois de passar pelas ilhas, a tempestade atingiu a costa nicaraguense perto da cidade de Haulover e é possível que tenha ventos máximos de 260 quilômetros por hora, retomando a categoria 5 na escala Saffir-Simpson, disse o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC).

A tempestade deve se mover para o interior, no norte da Nicarágua e no sul de Honduras na terça-feira.

A América Central e o sul do México ainda estão se recuperando do furacão Eta, que devastou plantações e arrasou encostas há duas semanas, matando dezenas. Muitas cidades ainda estão parcialmente inundadas e a terra já está alagada pela tempestade anterior.

(Com informações de Javier Andres Rojas e Geraldine Downer, da Reuters; e Amir Vera and Hollie Silverman, da CNN)