TV iraniana diz que arma que matou cientista nuclear foi fabricada em Israel

Imprensa iraniana afirma que cientista nuclear assassinado em Teerã foi alvejado por uma arma localizada dentro de um carro, controlada remotamente

Por Sara Mazloumsaki e Eliott C. McLaughlin, da CNN
30 de novembro de 2020 às 03:23 | Atualizado 30 de novembro de 2020 às 06:08
Imagem do cientista nuclear iraniano Mohsen Fakhrizadeh-Mahavadi divulgada pela agência Fars
Foto: Reuters

Segundo reportagem exibida nesta segunda-feira na Press TV, emissora iraniana com programação em inglês, a arma usada na morte de Mohsen Fakhrizadeh, um importante cientista nuclear iraniano, foi fabricada em Israel. Nos últimos dias, governantes iranianos acusaram o país do Oriente Médio pelo assassinato, até então sem apresentar provas.

No domingo, a agência de notícia Fars, que representa semioficialmente o governo do país, afirmou que o cientista foi baleado em Teerã, na última sexta, por uma metralhadora controlada remotamente dentro de umo carro

"A arma coletada no local do ato terrorista (onde Mohsen Fakhrizadeh foi assassinado) traz o logotipo e as especificações da indústria militar israelense", disse uma fonte não identificada à Press TV.

Falando antes da reportagem da Press TV, o ministro da Inteligência israelense, Eli Cohen, disse à rádio 103 FM na segunda-feira que não sabia quem era o responsável.

 

Leia também:
Quem foi o cientista assassinado no Irã?

Líder do Irã promete retaliação pela morte de cientista nuclear

 

O Irã deu início ao enterro de Fakhrizadeh em um cemitério no norte de Teerã na segunda-feira, informou a TV estatal, enquanto o ministro da Defesa prometia que a República Islâmica retaliaria por seu assassinato.

Metralhadora operada remotamente 

Uma reportagem publicada no domingo pela Fars diz que Fakhrizadeh estava viajando com sua esposa na sexta-feira em um carro à prova de balas, ao lado de três veículos do pessoal de segurança, quando ouviu o que parecia ser balas atingindo um veículo e saiu do carro para checar o que havia acontecido.

Altos representantes do governo iraniano culpam Israel pela morte de Mohsen Fakhrizadeh, que era o principal cientista nuclear do país.

Ao longo dos dias, porém, houve relatos conflitantes de agências de notícias iranianas sobre como o ataque se desenrolou.

Quando ele saiu do veículo, uma metralhadora de controle remoto abriu fogo de um Nissan parado a cerca de 150 metros do carro de Fakhrizadeh, disse a Fars.

Fakhrizadeh foi atingido pelo menos três vezes, de acordo com a agência. Seu guarda-costas também foi baleado. Após o tiroteio, o Nissan explodiu, informou a reportagem, acrescentando que o ataque durou três minutos.

A CNN não pode confirmar independentemente a versão da agência de notícias sobre os eventos.

Outra agência local, a Iranian Students News Agency (ISNA) também relatou que o carro de Fakhrizadeh foi atingido por tiros, seguido por uma explosão e mais tiros, citando como fonte  o ministro da Defesa iraniano, Amir Hatami.

"Com base em relatórios recebidos de membros de sua equipe de segurança, o veículo do Sr. Fakhrizadeh foi inicialmente alvejado por tiros, após o que um veículo Nissan carregado com explosivos foi detonado nas proximidades", disse Hatami disse, de acordo com ISNA.