Francês é investigado após dizer que achou tesouro arqueológico de 27 mil itens

Itens históricos que francês diz ter encontrado em propriedade na Bélgica incluem 14 mil moedas romanas e outros objetos raros e de "valor inestimável"

Por Pierre Bairin, da CNN
18 de dezembro de 2020 às 02:37 | Atualizado 18 de dezembro de 2020 às 04:12
Vídeo da alfândega francesa mostra tesouro arqueológico
Vídeo da alfândega francesa mostra tesouro arqueológico que cidadão do país diz ter encontrado
Foto: Youtube/ Reprodução


Autoridades francesas investigam um homem que supostamente encontrou 27,4 mil artefatos arqueológicos - incluindo mais de 14 mil moedas romanas valiosas. 

Em setembro de 2019, o cidadão francês disse ter descoberto 14.154 moedas em um terreno que possui na Bélgica, mas as autoridades belgas questionaram sua versão e, como consequência, foi aberta uma investigação na França para que seja apurada a origem do tesouro arqueológico.

Leia também:
Recorde na arte brasileira: tela de Tarsila do Amaral é vendida por R$ 57,5 mi

Louvre leiloa chance de observar ‘Mona Lisa’ de perto e fora da moldura de vidro


Se o homem, cujo nome não foi divulgado pelas autoridades, tivesse encontrado as moedas na Bélgica, ele teria o direito de mantê-las pelas leis do país. Porém, na França, os objetos arqueológicos encontrados no país são propriedade do Estado e mantê-los de forma privada pode ser considerado um roubo.

Acreditando que os itens pudessem ter sido encontrados em solo francês, autoridades do país têm vasculhado propriedades do homem no país, disse uma porta-voz da alfândega francesa à CNN.

Durante a investigação, segundo relato do despachante Florent Nourian, o homem admitiu que as moedas romanas foram de fato encontradas em solo francês.

Além das moedas, as autoridades encontraram mais de 13 mil outros artefatos arqueológicos de "qualidade excepcional" com ele e tentam apurar suas origens.

A coleção incluiu pulseiras e colares feitos durante a Idade do Bronze e do Ferro, moedas romanas e gaulesas e um dodecaedro romano, do qual existem apenas cerca de 100 exemplos conhecidos.
Outros objetos incluem peças de estátuas, bem como fivelas de cintos de várias idades históricas.

As autoridades apreenderam um total de 27.400 objetos de "valor inestimável" em uma das maiores recuperações de artefatos da história da França, disse um comunicado à imprensa.

A agência alfandegária concluiu sua investigação e encaminhará o processo aos promotores públicos nos próximos dias, disse uma porta-voz da à CNN.

Após o anúncio, ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, elogiou a "cooperação exemplar" entre as autoridades francesas e belgas. “(A cooperação) permitiu a apreensão de um tesouro arqueológico de valor inestimável. O autor do crime é passível de prisão e centenas de milhares de euros em multas alfandegárias”, afirmou.

“É uma mensagem clara dirigida àqueles que, para benefício e prazer egoísta, nos privam de nosso patrimônio comum e apagam seções inteiras de nossa história”.

A ministra da cultura francesa, Roselyne Bachelot-Narquin, enfatizou "a importância da cooperação europeia em face da atividade criminosa que não conhece fronteiras".