‘Rei do Pântano’: enorme crocodilo pré-histórico é identificado na Austrália

A espécie era uma das principais predadoras na Austrália durante a época em que viveu, e teria sido capaz de ingerir marsupiais pré-históricos gigantes

Jack Guy, da CNN
22 de dezembro de 2020 às 15:05 | Atualizado 22 de dezembro de 2020 às 15:06
O crocodilo de estrutura corporal poderosa foi nomeado "rei do pântano"
Foto: Shutterstock

Cientistas na Austrália identificaram uma nova espécie de crocodilo pré-histórico, o qual coroaram como “rei do pântano”. 

A criatura, de nome científico Paludirex vicenti, possuía mais de cinco metros de comprimento e dominava as vias navegáveis do sudeste de Queensland, de acordo com uma declaração à imprensa da Universidade de Queensland (UQ) publicada na segunda-feira (21).

O animal viveu há entre 5,33 e 2,58 milhões de anos, afirmou Jorgo Ristevski, um candidato a PhD na Escola de Ciências Biológicas da UQ, à revista científica PeerJ, que publicou a pesquisa.

Os pesquisadores identificaram o crocodilo gigante através de fósseis descobertos na década de 1980, próximos a uma cidade chamada Chinchilla.

Leia também:
Cangurus podem se comunicar com humanos da mesma forma que os pets, diz estudo
Irmãos adolescentes faturam US$ 250 mil com negócio e doam a abrigos de animais
Najas, visons, morcegos, pangolins... os bichos que foram notícia em 2020

A espécie foi nomeada em homenagem a Geoff Vincent, que encontrou um crânio fossilizado do animal. “Paludirex” significa “rei do pântano” em latim, e “vicenti” homenageia Vincent, de acordo com Ristevski. 

“O ‘rei do pântano’ era um crocodilo intimidador,” disse Ristevski na declaração à imprensa. “Seu crânio fossilizado mede cerca de 65 centímetros, então estimamos que o Paludirex vicenti possuía pelo menos cinco metros de comprimento”.

Paludirex vincenti comparado ao tamanho de um humano
Foto: Jorgo Ristevski

O maior crocodilo vivo nos dias atuais, o crocodilo-de-água-salgada - Crocodylus porosus - pode crescer até aproximadamente o mesmo tamanho, ele acrescenta.

“Mas o Paludirex possui um crânio maior e mais pesado, então ele poderia parecer um crocodilo-de-água-salgada que toma esteroides", disse Ristevski.

Destaques do CNN Brasil Business:
'Não vou esperar empresa estrangeira ser protagonista digital', diz Fred Trajano
Ações da Apple sobem com planos de lançamento de carro elétrico até 2024
Vinhos e espumantes por menos de R$ 100 para comemorar as festas de final de ano

A espécie era uma das principais predadoras na Austrália durante a época em que viveu, e teria sido capaz de ingerir marsupiais pré-históricos gigantes, de acordo com a pesquisa.

Duas espécies de crocodilo - Crocodylus porosus e Crocodylus johnstoni - ainda vivem na Austrália nos dias de hoje, e não está claro o motivo do desaparecimento do Paludirex vincenti.

Pesquisadores encontraram a espécie a partir de pedaços fossilizados de um crânio
Foto: Jorgo Ristevski

“Se o Paludirex vincenti foi extinto como resultado da competição com outras espécies, como o Crocodylus porosus, é difícil dizer”, afirmou Steve Salisbury, professor sênior na Escola de Estudos Biológicos da UQ, e supervisor de Ristevski.

“A alternativa é de que ele foi extinto conforme o clima ficava mais seco, e as vias aquáticas onde vivia se contraíram, tornando-se inabitáveis - estamos investigando as duas possibilidades no momento”.

Em setembro, um crocodilo de água salgada gigante da espécie Crocodylus porosus, medindo 4,4 metros, foi pego em um local turístico remoto no norte da Austrália.

O crocodilo, com o peso estimado em 350 quilogramas, foi capturado por oficiais da vida selvagem em uma armadilha no Parque Natural Flora River, um destino turístico popular na cidade de Katherine.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)