Belarus começa a administrar vacina russa contra a Covid-19

Belarus espera vacinar cerca de 200 mil pessoas com a Sputnik V na primeira fase de seu programa nacional

Polina Ivanova, da Reuters
29 de dezembro de 2020 às 06:35
Frasco com a vacina Sputnik V em clínica em Rostov-On-Don, Rússia
Foto: Sergey Pivovarov/Reuters

Belarus começou a administrar a vacina russa contra o coronavírus, Sputnik V, de acordo com anúncio dos dois países nesta terça-feira (29), depois que a primeira remessa chegou a Minsk.

Na semana passada, muitos russos expressaram raiva nas redes sociais depois que 300 mil doses da vacina foram despachadas para a Argentina, quando apenas 650 mil foram administradas na Rússia até 24 de dezembro, de acordo com o desenvolvedor, o Instituto Gamaleya.

Belarus espera vacinar cerca de 200 mil pessoas com a Sputnik V na primeira fase de seu programa nacional, disse o ministro da Saúde, Dmitry Pinevich, na semana passada.

Assista e leia também:

Saiba quais são os países que já estão vacinando; Brasil está fora

Vacinas são efetivas contra variações conhecidas da Covid-19, diz infectologista

Registro de vacina de Oxford será pedido à Anvisa em poucos dias, diz Fiocruz

O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), que está comercializando a vacina no exterior, se recusou a comentar quantas doses foram enviadas para a Bielo-Rússia.

A RDIF assinou um acordo em novembro com a empresa farmacêutica bielorrussa Belpharmprom para preparar a futura produção do Sputnik V no país. 

A Rússia relatou oficialmente cerca de 56 mil mortes e mais de 3,1 milhões de infecções por coronavírus entre seus 144 milhões de habitantes.

A Bielo-Rússia relatou cerca de 1.400 mortes por Covid-19 e 190 mil casos entre sua população de 9,5 milhões.