Policial que matou homem negro desarmado nos EUA é demitido

Adam Coy foi filmado disparando contra Andre Hill, homem negro que estava desarmado e carregava um celular iluminado na mão

Alec Snyder, Peter Nickeas e Nicquel Terry Ellis, da CNN
29 de dezembro de 2020 às 03:50
Morte de Andre Hill
Andre Maurice Hill, de 47 anos, sofreu disparos e foi morto pelo policial Adam Coy segundos após se encontrarem, enquanto Hill caminhava na direção do policial com um celular iluminado em sua mão
Foto: City of Columbus

Adam Coy, policial de Columbus, no estado americano de Ohio, foi demitido nesta segunda-feira (28), segundo o diretor local de Segurança Pública, Ned Pettus Jr. O policial atirou e matou Hill, homem negro que caminhava pela rua desarmado.

"As ações de Adam Coy não coadunam com o juramento de um policial de Columbus, ou padrões que nós e a comunidade exigimos dos nossos policiais", afirmou Pettus Jr.

A morte de Andre Hill aconteceu na terça-feira da semana passada, dia 21 de dezembro. O homem caminha em direção ao policial segurando um celular com iluminação em sua mão esquerda quando os disparos aconteceram.

A conduta de Coy foi apurada pelo investigador Thomas Quinlan, que recomendou a demissão do policial. "As informações, as evidências e as argumentações de Quinlan são, na minha opinião, inquestionáveis. A medida disciplinar recomendada por ele está embasada e é apropriada", afirmou o diretor Ned Pettus Jr.

Assista e leia também:

EUA: 1 em cada 1 mil americanos já morreu de Covid-19

Governo dos EUA recorre de ordem que suspende restrições ao TikTok

Menino de 7 anos entra na casa em chamas para salvar sua irmãzinha

CNN procurou a Ordem Fraterna da Polícia, que representou o policial na audiência, mas não obteve uma resposta. O sindicato argumentou na sessão que a defesa de Coy recebeu o aviso da audiência com pouca antecedência, na véspera de um final de semana com feriado, para uma audiência em uma manhã de segunda.

O prefeito de Columbus, o democrata Andrew Ginther, elogiou a decisão de demitir o policial. O Escritório de Investigações Criminais (BCI, na sigla em inglês) de Ohio vai revisar o caso para avaliar um possível indiciamento criminal.

"Agora, nós esperamos a investigação do BCI, uma apresentação das evidências a um júri e as potenciais acusações federais, da parte do Departamento de Justiça. Nós esperamos transparência, responsabilização e justiça. A família e toda a comunidade merecem isso", disse Ginther.

Texto traduzido. Clique aqui para ler o original, em inglês