Itália irá à Justiça contra a Pfizer por atrasos nas vacinas

Farmacêutica disse que as remessas de sua instalação de vacinas em Puurs, na Bélgica, seriam reduzidas temporariamente

Valentina Di Donato e Sharon Braithwaite, da CNN em Roma e Pisa
20 de janeiro de 2021 às 14:36

 

O governo italiano anunciou que tomará medidas legais contra a farmacêutica Pfizer devido aos atrasos na entrega da vacina contra a Covid-19.

O comissário extraordinário para o novo coronavírus no país, Domenico Arcuri, anunciou a decisão na terça-feira (19) após reunião com governadores locais e ministros da saúde e assuntos regionais.

“Foi discutido quais ações deveriam ser tomadas para proteger os cidadãos italianos e sua saúde em todas as repartições civis e criminais onde isso for possível. Por unanimidade, foi decidido que essas ações serão realizadas a partir dos próximos dias em um quadro unitário ", disse Arcuri em nota.

"A proteção da saúde dos cidadãos italianos não é negociável. A campanha de vacinação não pode ser retardada, muito menos para a aplicação das segundas doses aos muitos italianos que já receberam a primeira”, acrescentou Arcuri.

A decisão foi tomada depois que o chefe da Agência Italiana de Medicamentos (AIFA), Nicola Magrini, expressou “grave preocupação” sobre os atrasos da vacina Pfizer Covid-19, durante uma entrevista de rádio na terça-feira.

 

A Pfizer disse na sexta-feira que as remessas de sua instalação de vacinas em Puurs, na Bélgica, seriam reduzidas temporariamente, já que aumentariam para produzir 2 bilhões de doses da vacina Covid-19 em 2021.

A empresa disse que, para aumentar a capacidade, seriam necessárias mudanças no processo e nas instalações, além de aprovações regulatórias adicionais.

A parceira da vacina da Pfizer, BioNTech, disse mais tarde que o cronograma original para entregas à União Europeia seria retomado na semana que começa em 25 de janeiro.

A BioNTech disse que espera "aumentar a entrega a partir da semana de 15 de fevereiro", o que resultará na entrega "da quantidade totalmente comprometida de doses de vacina no primeiro trimestre e significativamente mais no segundo trimestre."

Até quarta-feira, 1.236.479 italianos foram vacinados, segundo os últimos dados do Ministério da Saúde. 6.943 pessoas no país receberam as duas doses da vacina.

Texto traduzido. Clique aqui para ler o original, em inglês.