Regime militar em Mianmar prendeu 37 jornalistas; 5 morreram sob custódia

Dentre os jornalistas detidos pelo regime, 19 permanecem na prisão

Da Reuters
16 de março de 2021 às 08:07
Soldados do lado de fora do Banco Central de Mianmar durante protesto em Yangon
Soldados do lado de fora do Banco Central de Mianmar durante protesto em Yangon contra golpe militar
Foto: Reuters (15.fev.2021)

 O governo de Mianmar aumentou a repressão do regime ditatorial em curso no país desde o golpe militar no dia 1º de fevereiro. A classe jornalística se tornou alvo dos militares. Até o momento 37 jornalistas foram detidos, dos quais 19 permanecem presos e 5 vieram a óbito sob custódia das forças armadas.

O país vive uma crise profunda com conflitos semanais entre manifestantes e agentes do regime. No último domingo (14), o governo militar de MIanmar fez uma escalada de violência sem precedentes ao executar 38 manifestantes  - um policial morreu durante em confronto, mas a maioria dos envolvidos nos protestos estavam desarmados. Este foi o dia mais sangrento desde o golpe. 

O país está sob lei marcial em seis áreas após incêndios em fábricas financiadas pela China. Nenhum grupo reivindicou a autoria dos atentados incendiários. O país tinha 126 mortes registradas até o último domingo, sendo 124 cidadãos e 2 policiais. 

(Com informações da CNN)