Os planos para o período de luto e para o funeral de Príncipe Philip

Tributos públicos foram incluídos nos planos para a morte de Philip, embora provavelmente sejam interrompidos por restrições às reuniões relacionadas à Covid-19

Rob Picheta, CNN
10 de abril de 2021 às 09:42
Príncipe Philip acena para jornalistas ao deixar hospital em Londres
Foto: Paul Hackett - 9.jun.2012/Reuters

A morte do Príncipe Philip, marido da Rainha Elizabeth II, na sexta-feira (9), deu início a um evento cuidadosamente orquestrado de vários dias que culminará com seu funeral.

Os planos para uma grande morte real são feitos com anos de antecedência, embora os detalhes sejam mantidos em sigilo absoluto e as restrições ao coronavírus atualmente em vigor em todo o Reino Unido signifiquem que alguns aspectos da estratégia terão que ser alterados.

A CNN entende que a Rainha deve aprovar qualquer proposta e não se sabe se isso já aconteceu. Também não está claro o quanto o próprio Philip teve uma influência nos planos de seu funeral.
Mas algumas partes notáveis ??dos preparativos para a morte de Philip — entendido como sendo o codinome "Forth Bridge" por ministros do governo, equipe real e parceiros da mídia — foram anunciadas e ocorrerão da seguinte forma.

Os restos

Os restos mortais de Philip estão no Castelo de Windsor, a residência real a oeste de Londres, onde ele e a rainha moraram nos últimos meses.

Philip voltou ao castelo em meados de março para suas últimas semanas, depois de receber alta de um hospital em Londres após uma cirurgia cardíaca.

Seu corpo ficará em repouso dentro do castelo, antes de seu funeral na Capela de São Jorge, também no local. Esse arranjo está de acordo com o costume real e com os desejos de Philip, de acordo com o College of Arms, a corporação real que desempenha um papel fundamental no planejamento.

Homenagens

Uma importante morte real suscita expressões de luto em muitos britânicos. A morte da princesa Diana e da rainha-mãe nas últimas décadas fez com que milhares enchessem as ruas de todo o país para comemorar suas vidas.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Boris Johnson, disse: "Estamos de luto hoje, com Sua Majestade a Rainha. Oferecemos nossas condolências a ela e a toda sua família e agradecemos, como nação e Reino, pelo vida e obra extraordinárias do Príncipe Philip, Duque de Edimburgo."

Bandeiras nos edifícios reais serão hasteadas com meio mastro até as 8h00 (3h00 horário do leste dos EUA) no dia seguinte ao funeral de Filipe. Isso inclui todas as bandeiras "oficiais" do Reino Unido — a Union Jack, as bandeiras da Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte, além de insígnias e cores dos navios.

Bandeiras acima da maioria dos prédios governamentais, incluindo 10 Downing Street, também foram baixadas. Na Austrália, bandeiras foram vistas a meio mastro na Sydney Harbour Bridge no sábado.

Tributos públicos foram incluídos nos planos para a morte de Philip, embora provavelmente sejam interrompidos por restrições às reuniões relacionadas ao coronavírus. Atualmente, reuniões ao ar livre de mais de seis pessoas ou duas famílias são proibidas na Inglaterra, com restrições semelhantes em outras partes do Reino Unido.

Na sexta-feira, o College of Arms "lamentavelmente solicitou que os membros do público não tentassem comparecer ou participar de qualquer um dos eventos que compõem o funeral."

Aconselhamento semelhante foi dado pelo governo. "Embora este seja um momento extraordinariamente difícil para muitos, estamos pedindo ao público que não se reúna no Royal Residences e continue a seguir os conselhos de saúde pública, especialmente sobre como evitar reuniões em grandes grupos e minimizar as viagens", disse um porta-voz do Gabinete do Governo em um demonstração.

"Estamos apoiando a Casa Real em pedir que tributos florais não sejam colocados nas Residências Reais neste momento", acrescentou o porta-voz.

Saudações com tiros serão disparadas em todo o Reino Unido ao meio-dia de sábado, escreveu o Ministério da Defesa do Reino Unido em um comunicado. "Em todo o Reino Unido, em Gibraltar e em navios HM no mar, baterias de saudação vão disparar 41 tiros a cada minuto por 40 minutos", escreveu.

"O público é encorajado a observar as saudações de arma de fogo em casa, elas acontecerão a portas fechadas, mas serão transmitidas online e na televisão", acrescentou o comunicado.
Saudações com tiros também estão programadas para ocorrer em países da Commonwealth, incluindo a capital australiana, Canberra.

O funeral

A atual situação do coronavírus ameaça tornar o funeral do duque irreconhecível em comparação com aqueles realizados para a maioria dos membros da realeza.

Será realizado na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, e ao contrário do que acontecerá quando a Rainha morrer, não será um funeral de estado.

Até mesmo um funeral chamado 'cerimonial' seria normalmente televisionado e apresentaria alguns elementos públicos, mas qualquer cerimônia ou procissão militar provavelmente ocorrerá atrás das paredes do castelo, para desencorajar o público de se reunir.

Normalmente, esse funeral seria assistido por chefes de estado de todo o mundo.

Mas, atualmente, apenas 30 pessoas têm permissão para comparecer a um funeral na Inglaterra, com medidas de distanciamento social em vigor. Isso não mudará na segunda-feira, apesar do país entrar em seu segundo estágio de "desbloqueio", então o funeral de Philip provavelmente envolverá apenas membros da família e seus amigos e assessores mais próximos.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).