Chefe da ONU teme que a repressão em Mianmar se transforme em conflito civil

A alta comissária Michelle Bachelet afirmou que 23 pessoas foram condenadas à morte após julgamentos secretos; o comissariado vê semelhanças com a Síria

Reuters
13 de abril de 2021 às 08:45
Manifestantes se protegem contra o exército de Mianmar
Manifestantes se protegem contra o exército de Mianmar
Foto: Hkun Lat/Getty Images

O escritório de direitos humanos das Nações Unidas disse nesta terça-feira (13) que teme que a repressão militar aos protestos em Mianmar desde o golpe de 1º de fevereiro possa se transformar em um conflito civil como o visto na Síria e pediu a suspensão do "abate".

A alta comissária da ONU, Michelle Bachelet, disse em um comunicado que 3.080 manifestantes foram detidos e há relatos de que 23 pessoas foram condenadas à morte após julgamentos secretos.

"Temo que a situação em Mianmar esteja caminhando para um conflito total. Os Estados não devem permitir que os erros mortais do passado na Síria e em outros lugares se repitam", disse Bachelet.