Discurso de Biden ao Congresso marca guinada da política dos Estados Unidos

Longa fala do presidente democrata pegou, de A a Z, pontos nevrálgicos, difíceis de serem lidados, na política internacional e americana

Da CNN, em São Paulo
29 de abril de 2021 às 13:02 | Atualizado 29 de abril de 2021 às 13:03

No quadro CNN Poder desta quinta-feira (29), na CNN Rádio, William Waack analisa o discurso do presidente dos EUA, Joe Biden, ao Congresso americano e o quanto ele marca uma guinada em relação a seu antecessor, Donald Trump.

“Vou fazer uma brincadeira com vocês. O presidente de qual país afirmou o seguinte: ‘Só o estado é capaz de fazer esse investimento (...) Compre só os nossos produtos, vamos aumentar o salário mínimo (...) Vamos estabelecer licença maternidade, paternidade, licença médica. Vamos criar uma rede de assistência social (...) Vamos investir principalmente no trabalhador, vamos ser contra o sistema financeiro porque quem construiu esse país foi o trabalho de pessoas de classe média e classe trabalhadora e não aqueles que vivem de dividendos e de apostas na bolsa?", questionou.

“Foi o presidente de algum país social-democrata, de algum país socialista do norte da Europa, algum país querendo implantar o socialismo do século 21? Não, foi o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.”

Para Waack, o longo discurso do democrata pegou, de A a Z, pontos nevrálgicos, difíceis de serem lidados, na política internacional e americana. 

“Destaquei esses pontos para vocês, para mostrar o quanto vai a guinada americana. Biden quer gastar mais ou menos US$ 4 trilhões – quase um Brasil – em infraestrutura, subsídios, ajuda direta e renúncia fiscal para fazer a economia americana andar”, afirmou.

“Não sei se ele vai conseguir, mas é bom anotar o que ele disse nesse discurso ao Congresso.”