Rússia expressa receio com implantação de tratado de controle de armas com EUA

De acordo com Moscou, norte-americanos excedem em 101 unidades o limite de lançadores e bombardeiros pesados previstos no tratado Start, renovado em fevereiro

Reuters
24 de maio de 2021 às 13:07 | Atualizado 24 de maio de 2021 às 13:10
Sistema de mísseis russos são exibidos em parada militar em Moscou
Sistema de mísseis russos são exibidos em parada militar em Moscou
Foto: Evgenia Novozhenina - 9.mai.2021/Reuters

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia expressou nesta segunda-feira (21) receios a respeito da implantação norte-americana do novo tratado de controle de armas nucleares Start e disse que o número de lançadores e bombardeiros dos Estados Unidos ultrapassa o limite combinado.

Rússia e EUA renovaram em fevereiro o Novo Start, um fundamento do controle de armas global que limita os números de ogivas nucleares estratégicas, mísseis e bombardeiros que Moscou e Washington podem mobilizar.

Os comentários da chancelaria russa coincidem com um ímpeto para organizar uma cúpula entre os presidentes russo, Vladimir Putin, e norte-americano, Joe Biden, no mês que vem, apesar da tensão nas relações entre os dois países. 

A Rússia disse na manhã desta segunda que está elaborando propostas para a possível pauta da reunião.

Em um comunicado, a chancelaria disse que 56 lançadores e 41 bombardeiros pesados dos EUA foram retirados do arsenal declarado de Washington e que Moscou não conseguiu confirmar se eles não têm mais capacidades nucleares, acrescentando que quatro silos de mísseis subterrâneos também foram retirados da conta.

"Sendo assim, a cifra permitida... pelo tratado é excedida pelos Estados Unidos em 101", disse.

Os EUA dizem que estão respeitando fielmente o tratado e defendem seus procedimentos de conversão para tornar lançadores e bombardeiros pesados incapazes de usar armas nucleares e retirá-los do tratado.