Biden indica ampliação de cinco anos no tratado nuclear com a Rússia

O novo acordo limita o número de ogivas nucleares, mísseis e bombardeios que a Rússia e os Estados Unidos podem usar.

Da Reuters
21 de janeiro de 2021 às 22:17
Joe Biden no Salão Oval da Casa Branca
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assina decretos no Salão Oval da Casa Branca
Foto: Tom Brenner/Reuters

"O presidente dos EUA, Joe Biden, buscará uma prorrogação de cinco anos para o tratado de controle de armas New START com a Rússia", disse a Casa Branca nesta quinta-feira (21), em uma das primeiras decisões importantes de política externa do novo governo.

"O presidente deixou claro há muito tempo que o novo tratado START é do interesse da segurança nacional. E essa extensão faz ainda mais sentido quando o relacionamento com a Rússia é rival como é neste momento", disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki.

O novo acordo START (Tratado de Redução de Armas Estratégicas), que foi assinado em 2010 e expira em fevereiro, limita o número de ogivas nucleares estratégicas, mísseis e bombardeios que a Rússia e os Estados Unidos podem usar.

Psaki disse também que Biden "encarregou" a comunidade de inteligência dos Estados Unidos de uma avaliação completa da violação cibernética Solar Winds, da interferência nas eleições de 2020, do uso de armas químicas pela Rússia contra o líder da oposição Alexei Navalny e de supostas recompensas aos soldados americanos em Afeganistão.

"Mesmo enquanto trabalhamos com a Rússia para promover os interesses do nosso país, também trabalhamos para responsabilizar os russos por suas ações imprudentes", reforçou a secretária.

O tratado de controle de armas, que deve expirar em 5 de fevereiro, limita os Estados Unidos e a Rússia a instalar no máximo 1.550 ogivas nucleares estratégicas cada.

Em um comunicado, o Pentágono disse que os americanos estavam "muito mais seguros" com o tratado intacto e estendido.

"Assim como engajamos a Rússia de maneiras que promovam os interesses americanos, nós, no Departamento, permaneceremos atentos aos desafios que a Rússia apresenta e comprometidos em defender a nação contra suas ações imprudentes", disse o porta-voz do Pentágono, John Kirby.

O lapso do tratado colocaria fim a todas as restrições ao envio de ogivas nucleares estratégicas americanas russas aos sistemas de lançamento que as transportam, potencialmente alimentando uma nova corrida armamentista, explicam os especialistas em política.

O Kremlin disse na quarta-feira (20) que permanece comprometido em estender o Novo START e acolheria os esforços prometidos pelo governo Biden para chegar a um acordo.