Sobrevivente de ultramaratona chinesa é resgatado por pastor

'Pressionei SOS no meu GPS e desmaiei', disse o atleta que se abrigou em uma caverna; 21 pessoas morreram durante a competição devido ao clima extremo

Reuters
24 de maio de 2021 às 10:13 | Atualizado 24 de maio de 2021 às 10:24
Resgate de maratonistas na China
Equipes de resgate levam maca durante operação em local onde corredores de ultramaratona morreram de hipotermia, na China
Foto: Reuters (22.maio.2021)

O corredor de longa distância Zhang Xiaotao estava no grupo líder da ultramaratona na China, na qual 21 pessoas morreram de hipotermia após mudanças climáticas que provocaram uma chuva congelante e ventos fortes em uma das trilhas da montanha.

O desastre aconteceu no último sábado (22) nas montanhas acima do Rio Amarelo, ao noroeste da China. Se recuperando do ocorrido, Zhang, de 29 anos, contou como foi encontrado inconsciente por um pastor que o carregou para um local seguro.

"Pressionei SOS no meu rastreador GPS e desmaiei", escreveu Zhang em um post um dia depois no Weibo, um microblog parecido com o Twitter, que é popular na China.

"Fiquei inconsciente na montanha por cerca de 2 horas até que um pastor passou e me carregou para uma caverna. Ele acendeu uma fogueira e me envolveu em uma colcha. E depois de mais uma hora, mais ou menos, acordei", acrescentou.

"Sou muito grato ao pastor que me salvou, porque sem ele eu ainda estaria deitado lá. Jamais esquecerei a nova vida que ele me deu!"

Mortes têm gerado críticas aos organizadores do evento

Dos 172 participantes que partiram na corrida de 100 quilômetros (62 milhas) na manhã do último sábado (22), 151 sobreviveram.

Zhang disse que, apesar de sua exaustão, não conseguiu dormir na noite de sábado enquanto esperava notícias de seus companheiros corredores. A última das 21 vítimas foi encontrada morta na manhã deste domingo (23).

A raiva crescente nas redes sociais foi ampliada pela notícia de que dois atletas de elite da maratona estavam entre os mortos. "Ninguém sabe que não dormi nos últimos dois dias e ninguém sabe o quanto chorei nos últimos dois dias", relatou Zhang.

Clima extremo matou 21 corredores na montanha cross-coutntry, perto da cidade de Baiyin, no noroeste da China
Foto: Reprodução CNN/ Google Earth

Em uma entrevista coletiva no domingo, as autoridades em Baiyin, uma cidade localizada na província de Gansu, curvaram-se e pediram desculpas, dizendo que se consideravam culpados.

Eventos esportivos, principalmente esportes radicais, se proliferaram no oeste da China nos últimos cinco anos, incentivados por autoridades locais que buscam transformar cidades de mineração em pólos de aventura e esportes – a estratégia é endossada por Pequim.

Os organizadores da ultramaratona Jingtai interromperam a corrida às 14h, duas horas depois de os corredores buscarem ajuda em grupos de mensagens móveis, informou a agência de notícias estatal Xinhua, citando vários participantes que disseram não terem recebido nenhum aviso sobre a suspensão antes de perderem consciência ou sofrerem ferimentos.

"O organizador deveria ter colocado pessoas de prontidão na seção mais difícil da trilha, ou colocado mais equipes de resgate. Eles também deveriam ter estabelecido regras obrigatórias para corredores usarem jaquetas", disse a sobrevivente do evento, Zhang.

Equipamentos de proteção como casacos quentes foram recomendados, mas não obrigatórios, em uma lista fornecida pelos organizadores, informou a agência de notícias oficial Xinhua nesta segunda-feira (24).

A maioria dos corredores partiu para a corrida malfadada vestindo camisetas e shorts. Alguns sobreviventes descreveram como seus cobertores térmicos foram despedaçados pelos fortes ventos.

O principal órgão esportivo da China convocou uma reunião de emergência na noite deste domingo em resposta à tragédia. "As autoridades locais devem formular planos de segurança e resposta de emergência direcionados e estabelecer 'mecanismos de disjuntor' (para suspender rapidamente os eventos)", disse a Administração Geral do Esporte após a reunião.

"A ultramaratona Baiyin é um acidente de segurança pública devido a mudanças repentinas no clima local. A lição foi muito dolorosa." Um dia antes da corrida, Zhang escreveu em sua página do WeChat: "Espera-se que chegue ao seu destino todas as vezes."