Médico brasileiro é preso no Egito após assediar vendedora

Victor Sorrentino publicou vídeo em que assedia vendedora em português nas redes sociais

da CNN, em São Paulo
31 de maio de 2021 às 12:05 | Atualizado 31 de maio de 2021 às 13:34

O médico e influencer brasileiro Victor Sorrentino foi preso neste domingo (30) em Luxor, no Egito, acusado de assediar uma vendedora. Ele publicou um vídeo do incidente nas próprias redes sociais. 

O Ministério do Interior egípcio disse, em comunicado, que conseguiu "capturar um estrangeiro que assediou uma garota depois que ele publicou um videoclipe contendo o assédio em um site de rede social na Internet".

O órgão acrescentou que os serviços de segurança conseguiram "identificar a vítima e o autor do incidente, tomar medidas judiciais contra ele e submeter à acusação competente".

O caso ganhou repercussão quando a iniciativa "Fala UP", voltada para as questões feministas no Egito, deu detalhes do ocorrido. O brasileiro postou em sua conta no Instagram um vídeo em que conversa com uma vendedora em um bazar turístico e aproveita que ela não fala português para assediá-la verbalmente. Uma hashtag que pode ser traduzida como #ResponsabilizemOAssediadorBrasileiro ficou entre os termos mais comentados no Twitter do país. 

O médico Victor Sorrentino
Foto: Divulgação/Dr. Victor Sorrentino

O médico excluiu o vídeo e publicou outro, em que pede desculpas e diz que foi uma "brincadeira". No momento, a conta dele na rede social está trancada. 

A CNN entrou em contato com a defesa de Sorrentino, os consultórios dele em São Paulo e no Rio Grande do Sul, mas não obteve resposta até a publicação deste texto. 

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro disse que já foi informado sobre o caso e que as autoridades brasileiras no Egito "estão prestando assistência consular cabível ao cidadão".

(*Com informações de Flávia Martins, da CNN em São Paulo, e da CNN em Árabe)