Morre aos 98 anos o último sobrevivente dos soldados que libertaram Auschwitz

Morte de David Dushman, chamado de 'Herói de Auschwitz', foi confirmada pela comunidade judaica de Munique e da Alta Baviera

Maria Fleet, da CNN
07 de junho de 2021 às 08:58
David Dushman, último sobrevivente dos soldados que libertaram Auschwitz
David Dushman, último sobrevivente dos soldados que libertaram prisioneiros de Auschwitz
Foto: Markus Heine - 5.ago.2015/NurPhoto via Getty Images

David Dushman, o último soldado sobrevivente que ajudou a libertar Auschwitz-Birkenau, morreu no sábado (5), aos 98 anos, disse a comunidade judaica de Munique e da Alta Baviera em um comunicado em seu site.

Dushman ajudou a libertar prisioneiros do notório campo de concentração nazista como soldado do Exército Vermelho Soviético na Segunda Guerra Mundial. A presidente da comunidade judaica local, Charlotte Knobloch, chamou Dushman de "Herói de Auschwitz" e disse em um comunicado que ele salvou "incontáveis vidas".

"Cada testemunha contemporânea que morre é uma perda, mas a despedida de David Dushman é particularmente dolorosa", disse Knobloch. "Ele foi um dos últimos que poderia contar sobre este evento por experiência própria."

Auschwitz-Birkenau, localizado na Polônia ocupada pelos nazistas, era o maior campo de concentração administrado pelo regime de Hitler. Mais de 1,1 milhão de homens, mulheres e crianças foram sistematicamente assassinados ali, muitos deles nas câmaras de gás do campo.

Cerca de 6 milhões de judeus foram mortos no Holocausto.

Em uma entrevista em seu apartamento em Munique no ano passado, Dushman disse à Reuters que sua unidade usou tanques para destruir as cercas da instalação. "Não sabíamos da existência de Auschwitz", disse ele.

Dushman foi apenas um dos 69 homens em sua unidade de 12.000 pessoas que sobreviveram à guerra, mas não saiu ileso. Um de seus pulmões foi removido depois que ele ficou gravemente ferido, de acordo com a Reuters.

Após sua carreira militar, Dushman tornou-se esgrimista internacional e treinador de esgrima. Ele foi o melhor esgrimista da URSS em 1951 e treinou a equipe feminina soviética de 1952 a 1988, de acordo com o Comitê Olímpico Internacional (COI). 

Seus esgrimistas ganharam duas medalhas de ouro, duas de prata e três de bronze nos Jogos Olímpicos de Verão de 1972 em Munique.

Thomas Bach, o presidente alemão do COI e ex-esgrimista, conheceu Dushman pessoalmente. Ele disse em um comunicado que estava "profundamente triste" com a notícia da morte de Dushman.

"Quando nos conhecemos em 1970, ele imediatamente me ofereceu amizade e conselho, apesar da experiência pessoal do Sr. Dushman com a Segunda Guerra Mundial e Auschwitz, e ele sendo um homem de origem judaica. Este foi um gesto humano tão profundo que nunca esquecerei", disse Bach.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)