Corte francesa condena homem que deu tapa em Macron a 4 meses de prisão

Presidente francês descreveu o ataque como um incidente isolado, e disse que a violência e o ódio são uma ameaça à democracia

Da Reuters
10 de junho de 2021 às 17:06 | Atualizado 10 de junho de 2021 às 17:15

Um tribunal francês ordenou que o homem que deu um tapa no rosto do presidente da França, Emmanuel Macron, nesta semana cumpra uma pena de quatro meses de prisão, noticiou a BFM TV.

Damien Tarel, um entusiasta do manejo de espadas que está desempregado e se disse simpatizante da direita, atacou Macron quando o presidente trocava apertos de mãos durante um encontro com o público, na terça-feira (8).

A corte atribuiu a Tarel, de 28 anos, uma pena de 18 meses, mas 14 destes foram suspensos, relatou a emissora.

Mais cedo, Tarel disse ao tribunal de Valence, no sul da França, que agiu porque o presidente representa tudo que está podre na França, segundo o canal de notícias.

Tarel disse que, vários dias antes da visita de Macron à região do Drôme, no sul francês, pensou em atirar um ovo ou uma torta de creme no presidente, mas acrescentou que o tapa não foi premeditado.

"Acho que Macron representa muito bem a decadência do nosso país", disse ele à corte, de acordo com a BFM TV. "Se eu tivesse desafiado Macron para um duelo ao pôr do sol, duvido que ele teria respondido."

Macron descreveu o ataque como um incidente isolado, e disse que a violência e o ódio são uma ameaça à democracia. Seu gabinete não respondeu a um pedido de comentário sobre as colocações de Tarel na sala do tribunal.

Tarel enfrentava uma acusação de agressão contra uma autoridade pública, crime que implica uma pena máxima de três anos de prisão e uma multa de 45 mil euros (cerca de R$ 277,5 mil).

Vestindo uma camiseta cáqui, Tarel gritou "Abaixo a Macronia" e "Montjoie Saint Denis", o grito de guerra do Exército francês quando o país ainda era uma monarquia.

Emmanuel Macron é estapeado
Presidente da França, Emmanuel Macron, foi estapeado durante visita ao sul do país
Foto: Reprodução/Twitter