Barragem na Alemanha se rompe e causa mais evacuações por enchentes

Mais de 1.000 pessoas estão desaparecidas e mais casas foram destruídas nas regiões atingidas pelas enchentes

Reuters
17 de julho de 2021 às 10:01 | Atualizado 17 de julho de 2021 às 14:29

 

Os temores de que o rompimento de uma barragem no oeste da Alemanha pudesse levar a mais cenas de devastação foram aliviados no sábado (17), quando horas de evacuação de moradores e construção de paredes de sacos de areia pareciam ter valido a pena.

As enchentes ainda estão altas em Ophoven e Wassenburg, a jusante da barragem de Rurtal, Ruhrtalsperre, que estourou na noite passada, mas a situação está sob controle, disse o prefeito de Wassenberg, Marcel Maurer, enquanto os bombeiros continuavam a colocar sacos de areia nas estradas e em torno de casas.

"Há água fluindo até onde ouvimos. E ainda estamos tentando retirá-la. Mas em uma extensão tão grande quanto tem sido nos últimos dias. Só temos que esperar e ver como isso vai nos afetar", disse. 

A barragem perto da fronteira com a Bélgica, a Rurtalsperre, estourou, mas outra, a Steinbachtalsperre, foi estabilizada na manhã de sexta-feira (16). Cerca de 4.500 pessoas foram evacuadas das comunidades ao redor do local e um trecho da rodovia A61 foi fechado em meio a temores de violação.

“Queríamos estar preparados e sermos cautelosos, especialmente depois do que vimos nos últimos dias em outros lugares, e tentamos estabilizar a barragem”, disse o prefeito Maurer. "É muito cedo para um esclarecimento, mas estamos cautelosamente otimistas", afirmou. 

"Tem havido água nos porões e coisas assim, mas não temos casas desabando como vimos em outros lugares. Felizmente, felizmente não temos isso. Mas temos água nos porões."

Mais de 1.000 pessoas estão desaparecidas e mais casas foram destruídas nas regiões atingidas pelas enchentes do oeste da Alemanha e da Bélgica na sexta-feira, onde as águas ainda estavam subindo e o número de mortos já chegava a 117.

Comunidades inteiras ficaram em ruínas depois que rios inchados varreram cidades e vilas nos estados da Renânia do Norte-Vestfália e Renânia-Palatinado, Bélgica e Holanda.

Só na Alemanha, 103 pessoas morreram naquela que é a pior perda em massa de vidas no país em anos. Doze dos mortos eram residentes de um lar para deficientes físicos em Sinzig, ao sul de Colônia, que foram surpreendidos pelas enchentes durante a noite.

O número de mortos deve aumentar ainda mais à medida que mais casas estão desabando, enquanto, na Bélgica, a mídia disse que pelo menos 14 morreram.

Cerca de 114.000 residências na Alemanha ficaram sem energia e as redes de telefonia móvel entraram em colapso em algumas regiões inundadas, o que significou que a família e os amigos não conseguiram localizar seus entes queridos.

Na Renânia-Palatinado, cerca de 1.300 pessoas foram relatadas como desaparecidas no distrito de Ahrweiler, ao sul de Colônia, disse o governo distrital no Facebook.

Mais ao norte, em Erftstadt, perto de Colônia, várias casas desabaram na manhã de sexta-feira e as autoridades temem vítimas.

O exército alemão destacou mais de 700 soldados para ajudar nos esforços de resgate.

Alemanha foi um dos países europeus mais atingidos por fortes enchentes (15.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN