Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Advogados de Trump pedem que julgamento envolvendo eleições de 2020 seja transmitido ao vivo

    Regras judiciais não permitem a transmissão de processos federais, e o Departamento de Justiça se opõe a permitir câmeras

    Ex-presidente dos EUA Donald Trump
    Ex-presidente dos EUA Donald Trump 04/11/2023REUTERS/Octavio Jones

    Katelyn Polantzda CNN

    A equipe jurídica do ex-presidente Donald Trump disse formalmente a um tribunal federal que gostaria que o seu julgamento de subversão eleitoral, em Washington DC, transmitido ao vivo pela TV.

    As regras judiciais não permitem a transmissão de processos federais, e o Departamento de Justiça se opõe a permitir câmeras. Vários meios de comunicação pediram ao tribunal que considerasse permitir câmeras no histórico julgamento, marcado para março.

    “O presidente Trump concorda absolutamente, e de fato exige, que esses procedimentos sejam totalmente televisionados”, escreveram seus advogados no processo na noite de sexta-feira (10).

    O processo incluiu várias críticas de Trump de que o seu caso é ilegítimo e de que está sendo privado dos seus direitos, e argumentou no tribunal que um julgamento televisionado lhe permitiria superar a injustiça do sistema de justiça porque o público iria assisti-lo.

    Em uma tentativa remota, um grupo de organizações de mídia, incluindo a CNN, pediu em outubro à juíza federal que supervisiona o caso, Tanya Chutkan, permissão para transmitir o julgamento dada a sua natureza histórica.

    Numa petição separada ao juiz, a NBCUniversal Media argumentou que a regra de longa data contra câmaras em julgamentos criminais federais, que data da década de 1940, está desactualizada e violaria a Primeira Emenda se fosse rigorosamente aplicada no caso Trump.

    Os meios de comunicação afirmaram que há um interesse público significativo em permitir a transmissão do julgamento, postulando que a cobertura em vídeo ajudaria a minar as teorias da conspiração em torno do caso.

    O procurador especial Jack Smith, que abriu o caso, se opõe à transmissão pela televisão do julgamento de subversão nas eleições federais.

    Os promotores escreveram em um documento na semana passada que os tribunais federais estão expressamente proibidos de permitir que processos em um tribunal sejam transmitidos ou mesmo fotografados e que, embora o público tenha sido autorizado a acessar alguns processos por meio de teleconferências durante a pandemia de Covid-19, a exceção terminou em setembro para julgamentos criminais.

    O julgamento do ex-presidente está marcado para 4 de março.

    Trump enfrenta quatro acusações no caso, incluindo conspiração para fraudar os Estados Unidos e obstruir um processo oficial. O ex-presidente se declarou inocente.

    Veja também: Trump deixa presídio na Geórgia após pagamento de fiança

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original