Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Análise de missão da ONU sugere que hospital de Kiev foi atingido por míssil russo

    Rússia nega que tenha atacado unidade médica; Ucrânia diz ter "provas inequívocas"

    Hospital infantil Okhmatdyt atacado em Kiev
    Hospital infantil Okhmatdyt atacado em Kiev 9/7/2024 REUTERS/Thomas Peter

    Olena HarmashTom Balmforthda Reuters

    Uma missão de direitos humanos da ONU disse nesta terça-feira (9) que há “alta probabilidade” de que o principal hospital infantil de Kiev tenha sido atingido diretamente por um míssil russo durante uma série de ataques aéreos contra cidades ucranianas. A Rússia nega envolvimento.

    A Ucrânia hasteou suas bandeiras a meio mastro em um dia nacional de luto para marcar as mortes de ao menos 43 pessoas em todo o país após ataques aéreos na segunda-feira (8).

    “A análise das imagens de vídeo e uma avaliação feita no local do incidente indicam uma alta probabilidade de que o hospital infantil tenha sofrido um impacto direto em vez de receber danos devido a armamento interceptado”, disse Danielle Bell, chefe da Missão de Monitoramento de Direitos Humanos da ONU na Ucrânia.

    Ucrânia afirma ter “evidências inequívocas”

    O serviço de segurança da Ucrânia afirmou ter evidências inequívocas de que a unidade médica foi atingida por um míssil de cruzeiro russo Kh-101 durante a série de ataques mais mortais em meses.

    As autoridades publicaram imagens do que disseram serem fragmentos do motor da arma.

    O Kremlin afirmou, sem fornecer evidências, que artefatos antimísseis ucranianos, não a Rússia, que atingiram o hospital infantil, que é um dos maiores da Europa e trata pacientes com condições graves, como câncer e doença renal.

    Conselho de segurança da ONU se reúne

    O Conselho de Segurança da ONU se reuniu nesta terça-feira para discutir o ataque, após pedido de Reino Unido, França, Equador, Eslovênia e Estados Unidos.

    O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, foi a Washington para uma cúpula de três dias de líderes da Otan, a aliança militar do ocidente, na qual espera obter compromissos de aliados para reforçar as defesas aéreas da Ucrânia e aumentar seu apoio militar.

    As forças russas estão avançando lentamente, mas reivindicaram nesta terça a captura da vila de Yasnobrodivka, na região oriental de Donetsk, na Ucrânia.

    Não houve comentários imediatos da Ucrânia, que relatou combates pesados ​​na região por meses.