Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Análise: Munição mudou posição de Putin sobre Coreia do Norte

    Analista de Internacional da CNN Brasil, Lourival Sant'Anna explica como a invasão da Ucrânia levou Putin a apoiar o programa nuclear da Coreia do Norte

    Da CNN

    Rússia mudou sua postura em relação à Coreia do Norte. O analista de Relações Internacionais Lourival Sant’Anna explica os motivos desta mudança.

    Entre 1961 e o fim da União Soviética no início da década de 1990, existia uma aliança militar entre os dois países. A parceria chegou ao fim com a dissolução do bloco soviético.

    Nos primeiros 23 anos do governo de Vladimir Putin, que começou em 2000, a Rússia estava alinhada com o Ocidente na questão norte-coreana. Moscou não reconhecia o status de potência nuclear de Pyongyang e aderiu às sanções impostas a partir de 2006 contra o programa de mísseis balísticos norte-coreano.

    No entanto, a invasão da Ucrânia e a necessidade crescente de obter munição e mísseis levaram Putin a mudar sua posição. Ele agora aprova as atitudes da Coreia do Norte.

    Ao afirmar que a Rússia reconhece o direito de Pyongyang de fortalecer sua capacidade de autodefesa e segurança, Putin está implicitamente aceitando o status de potência nuclear da Coreia do Norte e o desenvolvimento de seu programa de mísseis, afirma Lourival.

    Além disso, a Rússia parece estar ajudando a Coreia do Norte.

    Em dezembro, Pyongyang conseguiu lançar seu primeiro satélite militar espião após uma visita de Kim Jong-un a Moscou em setembro.

    Por sua vez, a Coreia do Sul calcula que cinco milhões de balas de artilharia foram enviadas pela Coreia do Norte à Rússia, e a Ucrânia afirma ter encontrado pelo menos dez mísseis balísticos norte-coreanos disparados pelas forças russas.

    Os textos gerados por inteligência artificial na CNN Brasil são feitos com base nos cortes de vídeos dos jornais de sua programação. Todas as informações são apuradas e checadas por jornalistas. O texto final também passa pela revisão da equipe de jornalismo da CNNClique aqui para saber mais