Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após reunião com Netanyahu, Biden diz que EUA trabalharão com Israel para evitar “novas tragédias”

    Presidente americano se reuniu com o premiê israelense nesta quarta-feira, em Tel Aviv, para discutir os rumos da guerra entre Isarel e Hamas

    Presidente dos EUA, Joe Biden, conversa com primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Tel Aviv
    Presidente dos EUA, Joe Biden, conversa com primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Tel Aviv Evelyn Hockstein/Reuters (18.out.23)

    Donald Juddda CNN

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que seguirá com o apoio a Israel em uma reunião com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e membros do gabinete de guerra do país, em encontro ocorrido em Tel Aviv nesta quarta-feira (18).

    “Continuaremos apoiando Israel enquanto você trabalhar para defender seu povo”, afirmou Biden a Netanyahu. “Continuaremos trabalhando com vocês e com parceiros em toda a região para evitar mais tragédias para civis inocentes.”

    Biden também classificou os ataques terroristas do grupo radical islâmico Hamas como “brutais, desumanos, quase inacreditáveis”. Netanyahu, por sua vez, criticou o Hamas por cometer “este terrível duplo crime de guerra contra a humanidade”.

    “Enquanto Israel procura minimizar as baixas civis, o Hamas procura maximizar as baixas civis”, disse Netanyahu.

    “O Hamas quer matar o maior número possível de israelenses e não tem qualquer consideração pelas vidas palestinas. Todos os dias eles cometem um duplo crime de guerra, tendo como alvo os nossos civis enquanto se escondem atrás dos seus civis, incorporando-se na população civil e usando-os como escudos humanos”, completou.

    Vídeo: Hamas faz Estado Islâmico parecer racional, diz Biden

    O primeiro-ministro israelense também abordou o ataque a bomba a um hospital em Gaza durante a noite de terça-feira (17), no qual estimativas preliminares indicam que centenas de pessoas foram mortas, segundo o Ministério da Saúde da Faixa de Gaza.

    “Vimos ontem o custo deste terrível crime de guerra, quando um foguete disparado por terroristas palestinos falhou e caiu em um hospital palestino”, disse Netanayahu. “O mundo inteiro ficou indignado com razão. Mas esta indignação não deveria ser dirigida a Israel, e sim aos terroristas. À medida que avançamos nesta guerra, Israel fará tudo o que puder para manter os civis fora de perigo.”

    As autoridades em Gaza disseram que Israel estava por trás da explosão, enquanto as Forças de Defesa de Israel disseram que sua inteligência mostrou que uma “falha no lançamento de foguete” do grupo Jihad Islâmica Palestina foi o fator responsável.

    Nesta quarta-feira (11), Biden abordou brevemente o atentado ao hospital durante uma reunião com Netanyahu, dizendo ao primeiro-ministro israelense que “parece que foi feito pela outra equipe”.

    Veja imagens do conflito entre Israel e Hamas