Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ataque à base da Rússia no Mar Negro deixa dezenas de mortos e feridos, diz Ucrânia

    Forças ucranianas afirmam ter atingido a liderança sênior da frota da Marinha da Rússia

    Satélite mostra fumaça saindo do quartel-general russo no Mar Negro após ataque com mísseis na sexta-feira (22)
    Satélite mostra fumaça saindo do quartel-general russo no Mar Negro após ataque com mísseis na sexta-feira (22) Reuters

    Maria KostenkoTim ListerSophie Tannoda CNN

    A Ucrânia disse neste sábado (23) que seu ousado ataque ao quartel-general da Frota Russa do Mar Negro, na cidade de Sebastopol, na Crimeia, deixou dezenas de mortos e feridos, “incluindo líderes seniores”.

    O ataque de sexta-feira (22) é talvez o exemplo mais dramático da confiança com que a Ucrânia persegue as instalações russas na Crimeia ocupada — e mostra a vulnerabilidade de infraestruturas de importância crítica na península.

    Num comunicado no Telegram, as Forças de Operações Especiais da Ucrânia disseram que uma operação especial apelidada de “Armadilha de Caranguejo” foi programada para atacar enquanto altos membros da Marinha da Rússia se reuniam.

    Segundo a Ucrânia, a ataque deixou dezenas de mortos e feridos, “incluindo a liderança sênior da frota”. Nenhum nome foi fornecido e a CNN não verificou a afirmação de forma independente.

    Sebastopol é a maior cidade da Crimeia, que foi anexada ilegalmente pela Rússia em 2014. A Ucrânia não perdeu a esperança de recuperá-la.

    “O trabalho ousado e meticuloso das Forças de Operações Especiais permitiu-lhes atingir o quartel-general da Frota do Mar Negro ‘a tempo e com precisão’ enquanto os chefes da Marinha Russa se reuniam na cidade temporariamente ocupada de Sebastopol”, afirmou no comunicado.

    “Os dados foram transmitidos à Aeronáutica para ataque. Os detalhes do ataque serão revelados assim que for possível. O resultado são dezenas de ocupantes mortos e feridos, incluindo a liderança sênior da frota”, dizia o comunicado.

    Acrescentou: “Estamos avançando!”

    FOTOS — Imagens mostram a destruição da guerra entre Rússia e Ucrânia

    Importância estratégica e simbólica

    Nenhum detalhe adicional ou qualquer evidência sobre vítimas específicas entre a Frota Russa do Mar Negro foi até agora fornecido pela Ucrânia.

    Até o momento, o Ministério da Defesa da Rússia apenas disse que um soldado russo estava desaparecido após o ataque com mísseis de sexta-feira (22). Autoridades locais disseram que os mísseis deixaram o quartel-general naval danificado, destroços espalhados a centenas de metros de distância.

    O incidente foi o mais recente de uma série de ataques contra instalações russas na Crimeia.

    Os ucranianos atingiram um campo de aviação militar russo em Saky, degradaram as defesas aéreas russas na costa noroeste e realizaram um ataque com mísseis à principal doca seca e instalação de reparação naval em Sebastopol, paralisando um submarino de ataque e um navio de desembarque.

    O ataque a Saky causou “danos não especificados, mas graves” no campo de aviação, segundo fontes dos Serviços de Segurança da Ucrânia (SBU).

    Na sequência do ataque de sexta-feira, o Secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, Oleksii Danilov, alertou que a Frota Russa do Mar Negro poderia ser “fatiada como um salame” em potenciais ataques futuros.

    Existem muitas razões para a Ucrânia atacar a Crimeia. É politicamente um sinal de que, apesar do lento progresso nas linhas da frente na sua contra-ofensiva, a Ucrânia ainda pode infligir sérios danos aos militares russos. Alvos como a ponte da Crimeia têm um valor simbólico considerável, bem como um propósito estratégico.

    Faz também parte de um esforço mais amplo — na Crimeia, Zaporizhzhia, Donetsk e Luhansk — para atingir os centros russos de logística, combustível, manutenção e comando, a fim de comprometer sua capacidade de abastecer as linhas da frente.

    Veja também: Ocidente dá sinais de que pode abandonar Ucrânia

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original