Austrália registra primeiro caso de transmissão comunitária da variante Ômicron

País ainda mantém plano de reabertura mesmo com transmissão da nova variante entre pessoas que não saíram do país

Estudante de Sydney foi o primeiro caso de transmissão comunitária da variante Ômicron na Austrália
Estudante de Sydney foi o primeiro caso de transmissão comunitária da variante Ômicron na Austrália Breno Esaki/Agência Saúde DF

Byron Kayeda Reuters

Ouvir notícia

A Austrália relatou, na sexta-feira (3) (no horário local), sua primeira transmissão comunitária da nova variante do coronavírus Ômicron. Entretanto, as autoridades se mantiveram firmes em um plano para reabrir a economia em meio à esperança de que a nova cepa  se mostrasse mais branda do que as anteriores.

O novo caso, de um estudante de Sydney, foi a primeira infecção confirmada de Ômicron de uma pessoa que não viajou para o exterior, sinal de que a variante agora é comunitária, disseram autoridades no estado de New South Wales.

“A transmissão é sempre uma preocupação, mas novamente precisamos mantê-la em perspectiva”, disse o ministro da Saúde do estado, Brad Hazzard, explicando porque o estado mais populoso da Austrália não estava revertendo sua reabertura encenada de bloqueios rígidos impostos em julho devido à variante Delta.

“Em todo o mundo não há clareza sobre se esta variante em particular vai nos causar em qualquer lugar perto dos problemas que as variantes anteriores nos causaram.”

A Austrália agora tem nove casos confirmados da variante Omicron, oito em NSW, onde vive 1/3 dos 25 milhões de habitantes do país. Embora alguns estados tenham reforçado os controles de fronteiras internas, o governo federal espera evitar um retorno as restrições de emergência.

Mesmo assim, foi adiado por duas semanas um plano para permitir que estudantes estrangeiros e migrantes qualificados entrem no país. Os australianos que retornam da África do Sul devem completar duas semanas de quarentena em hotéis.

Questionado se o governo federal iria parar de direcionar as chegadas da África do Sul, agora que a nova variante não está mais limitada às pessoas que já estiveram lá, o Ministro da Saúde Greg Hunt disse “continuaremos a revisar o conselho médico. O seguimos porque mantém a Austrália segura.”

O médico chefe Paul Kelly, principal conselheiro de saúde do governo, disse que a Austrália não recomendaria antecipar as vacinas de reforço, como fizeram outros países, pois não há “evidências” de que isso melhoraria a proteção contra a Ômicron.

A resposta agressiva de Covid-19 na Austrália ajudou a evitar o alto número de mortes registradas em muitos outros países, com cerca de 212.000 casos e 2.000 mortes.

Um remoto território do Norte do país, que abriga a maior parte de sua população indígena, registrou sua primeira morte de Covid-19, uma mulher indígena na casa dos 70 anos.

Mais Recentes da CNN